Clique e assine a partir de 5,90/mês

Anti-maratona: 6 curtas-metragens para assistir na Netflix

A plataforma possui bons curtas no seu catálogo – uma prova que dá para se entreter só com alguns minutos na frente da televisão. Veja alguns exemplos.

Por Rafael Battaglia - Atualizado em 16 out 2020, 16h14 - Publicado em 14 out 2020, 18h58

John à Procura de Aliens

Netflix/Reprodução

Nos EUA, um homem solitário passou décadas enchendo a casa dos avós com aparatos eletrônicos na tentativa de encontrar vida extraterrestre. Uma história fascinante – que poderia facilmente virar longa-metragem. 

Absorvendo o Tabu

Netflix/Reprodução

O ano é 2019, mas a menstruação ainda é um assunto delicado na Índia: os homens a desconhecem, e muitas mulheres não têm acesso a absorventes. Mas um grupo de indianas, por meio da fabricação de uma versão de baixo custo do produto, quer mudar isso. Levou o Oscar de Melhor Curta-Documentário.

O Mercador

Netflix/Reprodução

O que vem à sua mente quando se fala em Europa? Provavelmente, não a Geórgia, uma pobre ex-república soviética. Seguindo a rotina de um vendedor ambulante, o filme mostra a dura realidade de quem vive no interior do país, onde batatas funcionam como moeda alternativa para comprar e vender.

Continua após a publicidade

Viagem ao Fim da Noite

Netflix/Reprodução

É o mais criativo dos curtas de Feito em Casa, uma coletânea de projetos de cineastas feitos durante a pandemia. Aqui, o italiano Paolo Sorrentino, vencedor do Oscar por A Grande Beleza, imagina uma inusitada relação entre a Rainha Elizabeth e o Papa Francisco – apenas usando bonecos.

Anima

Netflix/Reprodução

Equipe de grife: o diretor Paul Thomas Anderson (Magnólia, Sangue Negro) une forças com Thom Yorke, do Radiohead, em um projeto experimental que mistura música, sonhos e dança. O curta foi feito para o disco solo homônimo de Yorke, que também estrela o curta.

O Monstro do Monstro de Frankenstein

Netflix/Reprodução

Em um falso documentário que abusa da metalinguagem, David Harbour (o Hooper de Stranger Things) tenta entender por que seu pai, também ator, acabou fazendo uma releitura fracassada deste clássico da literatura. Sim, a premissa é meio maluca – e é justamente por isso que vale a pena.

Continua após a publicidade
Publicidade