Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Conheça o Cordyceps, fungo que inspirou The Last of Us

O fungo que transformou a humanidade em zumbis existe – só que, na vida real, suas vítimas são formigas.

Por Leo Caparroz
Atualizado em 1 fev 2023, 15h56 - Publicado em 17 jan 2023, 19h07

Histórias apocalípticas baseadas em vírus ou bactérias dizimando o planeta, infectando as pessoas e criando zumbis bizarros não são novas. A maioria delas é pura ficção, claro. Mas no caso de The Last of Us, jogo criado pela Naughty Dog em 2013 e que virou série da HBO este ano, o inimigo é um fungo que realmente existe.

Mas pode ficar tranquilo porque ele não infecta seres humanos no mundo real. O Cordyceps é um gênero de fungos entomopatogênicos – o que significa que eles matam ou incapacitam insetos. Com aproximadamente 600 espécies distribuídas ao redor do mundo, a maioria está concentrada na Ásia, sendo particularmente abundante em florestas tropicais.

Vamos usar uma formiga como exemplo. Após infectar o seu hospedeiro, o fungo toma conta de suas funções motoras e desvia a formiga de sua trilha habitual. O fungo faz sua “carona” chegar em um ponto alto, com condições de umidade e temperatura ideais. Daí, o inseto finca as mandíbulas na superfície de um tronco e, dentro de algumas horas, morre. Em alguns dias, o parasita começa a se revelar do corpo imóvel da formiga: um talo parecido com uma haste ou um pequeno galho brota da cabeça do inseto. Quando desenvolvido por completo, ele libera esporos, que vão infectar outros insetos nas proximidades e dar continuidade ao ciclo.

Cada espécie de Cordyceps se especializa em parasitar um inseto em específico. Neil Druckmann criador do jogo e da série, teve a inspiração para a trama depois de assistir a um episódio do documentário de 2006, “Planeta Terra”, da BBC (no Brasil, ele foi exibido pelo Fantástico). No trecho abaixo, é possível ver o fungo agindo em uma formiga da espécie Paraponera clavata.

Continua após a publicidade


Sorte a nossa que não somos formigas. Poucos fungos sobrevivem dentro do corpo humano – e o Cordyceps não é um deles. Para infectar o corpo humano, o parasita deve ter tolerância a altas temperaturas, capacidade de invadir o hospedeiro e resistência ao sistema imunológico. O Cordyceps, felizmente, não satisfaz todos os pré-requisitos.

Na trama, uma mutação do fungo real o tornou capaz de infectar humanos e fazer a mesma coisa que fazia às formigas. Enquanto no jogo essa mutante veio da América do Sul, na série ela é original da Indonésia. O desenrolar da história você acompanha aos domingos no HBO Max – ou no jogo disponível para PlayStation.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.