Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O que é o gambito da rainha? Entenda o lance de xadrez que batiza a série

Você pode até jogar contra Beth Harmon depois: o site Chess.com programou uma IA para simular o estilo de jogo da personagem.

Por Bruno Vaiano Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 1 mar 2021, 11h00 - Publicado em 4 dez 2020, 13h04

O Gambito da Rainha é a minissérie mais popular da história da Netflix. Mas o quê, afinal, é um gambito?

Em certas regiões do Brasil, “gambito” (ou “cambito”) é sinônimo de pernas finas. A etimologia é simples: vem do italiano gambetta, que é o diminutivo de gamba – em português, “perna”. Ou seja: ao pé da letra, “gambito” é um jeito de dizer “perninha”.

A origem etimológica do tal gambito usado pela personagem Beth Harmon na série é exatamente a mesma: gambetto, com “o” em vez de “a”, significa “rasteira”. Tudo a ver com pernas.

Quem leva a rasteira? O adversário, claro. O gambito da rainha (na verdade, da “dama”, não se usa a tradução “rainha” normalmente entre enxadristas) é um jeito de começar um jogo de xadrez – no jargão dos enxadristas, uma abertura – em que você sacrifica uma peça para tirar vantagem disso depois. Sacrificar a peça, claro, significa que seu oponente precisa colaborar e capturar a peça para você.

Se o adversário cair no truque, temos um gambito da dama aceito. Se ele não cair, temos um gambito da dama recusado. Entre jogadores profissionais, é claro, cair ou não no gambito é uma escolha. Ninguém realmente é pego de surpresa.

Continua após a publicidade

Se você é um amador, recusar é a alternativa mais segura. Mas monstros sagrados do xadrez sabem se aproveitar das duas possibilidades, e podem aceitar o gambito para organizar sua defesa de uma maneira diferente, que tire vantagem disso. É bem difícil jogar com as pretas depois de aceitar o gambito.

A peça sacrificada não é a dama, veja bem: ninguém é maluco de sacrificar uma dama. Sua liberdade de movimento no tabuleiro a torna a peça mais valiosa depois do rei. O nome da jogada vem do fato de que o primeiro peão movido é o que fica na frente da dama.

Escrevendo é difícil. É mais fácil entender com uma imagem. Dá uma olhada em como fica o tabuleiro após três jogadas – são sempre as peças brancas que começam. Vamos relembrar as regras antes de analisar o tabuleiro: os peões, partindo de sua posição inicial, podem avançar uma ou duas casas, sempre para frente. Mas só capturam peças na diagonal.

.
(Print de lichess.org/Reprodução)

O sacrifício, aqui, é do peão branco da esquerda, que sai da frente do bispo (na coluna C). Ele é um alvo fácil para o peão preto que já avançou. Se o peão preto aceitar o gambito e comer o peão branco, as brancas ficam na vantagem imediatamente.

Continua após a publicidade

O motivo é o seguinte: agora, as brancas podem avançar o peão do rei (na coluna E) para ficar lado a lado com o peão da rainha (na coluna D) no centro do tabuleiro, dominando a área sem ameaça nenhuma. E ao mover o peão do rei, as brancas abrem espaço para o bispo branco (na coluna F) dar fim no peão preto que aceitou o gambito em primeiro lugar.  De novo, é mais fácil observar uma sequência de tabuleiros do que entender a descrição:

.
(Print de lichess.org/Reprodução)

.

.

No site Chess.com, você pode se cadastrar e jogar uma partida contra um computador que imita Beth Harmon, a personagem da série, em diferentes idades: dos nove anos, quando ela aprende a jogar com o zelador no porão do orfanato, aos 22, quando ela encara o mestre soviético Borgov. Mas cuidado: atacar a rainha do gambito com um gambito pode não ser uma boa ideia.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.