Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Projeto usa impressão em 3D para que deficientes visuais “vejam” obras de arte pela primeira vez

Por meio de campanha de financiamento coletivo, projeto “The Unseen Art” quer criar um banco de dados de modelos em três dimensões de obras clássicas

Por Jessica Soares Atualizado em 4 nov 2016, 19h04 - Publicado em 7 dez 2015, 17h15

Imagine ouvir falar sobre o misterioso sorriso da Monalisa, o envolvente beijo de Klimt ou dos famosos girassóis de Van Gogh sem nunca poder conhecer essas criações. Para deficientes visuais, o acesso a obras de arte visuais não é simples – uma opção oferecida por alguns museus são visitas guiadas descritivas, em que as imagens são “traduzidas” em palavras para permitir que pessoas com dificuldades cognitivas possam experimentar uma forma diferente de ver as obras em exibição. Para ampliar as possibilidades de desfrutar da arte sem a visão, o projeto The Unseen Art quer explorar agora um outro sentido: o tato.

LEIA: Impressora 3D: você (logo) vai ter uma

A ideia do designer Marc Dillon é usar a tecnologia de impressão em três dimensões para oferecer às pessoas cegas a oportunidade de conhecer obras clássicas de arte. Serão criados modelos gratuitos em 3D que poderão ser impressos em qualquer lugar do mundo. A ideia é que os modelos possam ser usados tanto na própria casa como também para exibição em galerias e museus, subvertendo a máxima de que nesses espaços deve-se ver sem tocar.

Continua após a publicidade

Para viabilizar o projeto, o designer lançou uma campanha de financiamento coletivo no Indiegogo. A meta é atingir 30 mil dólares para viabilizar a criação das peças – artistas com experiência em criações em três dimensões estão sendo convidados para contribuir com suas interpretações em 3D de obras clássicas e criar um grande banco de modelos prontos para serem impressos.

O trabalho dos artistas é feito a partir de uma fotografia em alta resolução da pintura. Usando um software de modelagem 3D, é criada uma versão da obra, dando ênfase para criação de profundidades e detalhes que possam ser sentidos por deficientes visuais ou cegos. Com impressoras 3D, os modelos podem ser criados em diferentes materiais como plástico, metal, arenito, resina, cerâmica.

O projeto pode ser apoiado até o dia 17 de dezembro.

LEIA TAMBÉM:
7 filmes produzidos com financiamento coletivo
Cientistas usam impressão 3D para criar blocos de células-tronco

 

Continua após a publicidade
Publicidade