GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Apesar da crista, este réptil voava

Dois paleontólogos brasileiros analisaram um crânio fossilizado encontrado na Bacia do Araripe, no Ceará. E concluíram que se trata de uma nova espécie de pterossauro. Batizado de Tapejara imperator (velho imperador), o ancestral das aves modernas tem 110 milhões de anos. Mais curioso: o imperator carregava sobre o cocuruto uma crista enorme, feita do que os especialistas chamam de tecidos moles, como carne ou cartilagem. O adereço ocupava 67 centímetros da altura total da cabeça do animal (que era de 80 centímetros) e aumentava o peso do crânio em seis vezes. “A crista devia servir como um alerta aos inimigos do animal”, comenta Diógenesde Almeida Campos, do Departamento Nacional de Produção Mineral. “O estranho é imaginar que o imperator podia levantar vôo com essa crista, tão pouco aerodinâmica”, surpreende-se Alexander Kellner, do Museu Nacional do Rio de Janeiro. Agora, os dois pesquisadores querem fabricar um modelo do animal e estudar o comportamento da crista num túnel de vento, do mesmo modo como é feito com protótipos de aviões.

Veja como ele era

A ilustração ao lado mostra como se parecia a cabeça do imperator.

Da altura total de 80 centímetros do crânio, 67 eram de crista. Ela era formada de tecidos moles, como carne ou cartilagem, que se dissolveram com o tempo. No fóssil só restaram os ossinhos que davam suporte a ela.