Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Arte rupestre descoberta na Indonésia pode ser a mais antiga do mundo

A pintura, que traz a representação de uma espécie de javali, foi feita há mais de 45 mil anos.

Por Carolina Fioratti 14 jan 2021, 17h12

Uma equipe de arqueólogos descobriu o que pode vir a ser a pintura rupestre mais antiga do mundo. O desenho de um javali em tamanho real foi encontrado na caverna Leang Tedongnge, na ilha de Celebes, na Indonésia. Análises feitas pelos pesquisadores indicam que a arte data de, pelo menos, 45,5 mil anos atrás.

O artigo que detalha a descoberta foi publicado na última quarta-feira (13), na revista Science Advances. O animal desenhado na caverna possui 136 cm de comprimento e 54 cm de altura. Ele dividia espaço com outros três indivíduos da mesma espécie, todos pintados com pigmento vermelho ocre. Além disso, há ainda marcas de mão próximas ao bichano.

Imagens de porcos pintados na parede de uma caverna.
Visão panorâmica do painel com aprimoramento de imagem. A. A. Oktaviana, ARKENAS/Griffith University/Divulgação

Ao que parece, os hominídeos que deixaram aqueles desenhos queriam representar os javalis verrugosos de Celebes (Sus celebensis), espécie endêmica da região que está por lá até hoje. Muitas pinturas mais recentes já encontradas no território remetem ao animal, o que leva os cientistas a acreditarem que ele foi muito importante para os primeiros caçadores-coletores que viveram por ali.  

A ilha de Celebes é conhecida por abrigar as artes rupestres mais antigas do mundo. A caverna onde estão os desenhos fica em uma área isolada por penhascos de calcário, a cerca de uma hora de caminhada da estrada mais próxima. Como se não bastasse, só é possível acessar a região durante a estação seca, já que o período chuvoso causa enchentes no local.

Entrada da caverna Leang Tedongnge.
As pinturas foram encontradas na caverna Leang Tedongnge, na ilha indonésia de Celebes. A. A. Oktaviana, ARKENAS/Griffith University/Divulgação

A pintura do javali foi encontrada em 2017 por pesquisadores da Universidade Griffith, na Austrália. Para desvendar a sua idade, os cientistas aplicaram a técnica de datação de urânio sobre um depósito mineral que se formou por cima do desenho. O resultado mostrou que ele tem ao menos 45,5 mil anos de idade. Até então, a arte rupestre mais antiga de que se tinha notícia era uma feita há 43,9 mil anos, que, vale dizer, também foi achada em Celebes pela mesma equipe de pesquisadores. 

  • Os cientistas acreditam que a arte encontrada foi feita por Homo sapiens, e não espécies de hominídeos extintas, como os denisovanos. A conclusão foi tirada exclusivamente pela “sofisticação dessa antiga obra de arte representacional”, como explicou Adam Brumm, co-autor do estudo, ao The New York Times. Além disso, a pintura compartilha características com a arte pré-histórica já relatada em outras partes do mundo, incluindo a presença de marcas de mãos e ângulos que mostram os animais tanto de perfil como de frente. Contudo, não há fósseis humanos na região que comprovem a teoria. 

    Apesar da arte ser descrita no estudo como a “mais antiga”, os pesquisadores pretendem continuar com a exploração e encontrar pinturas tão ancestrais quanto essa em outras cavernas. Mas o tempo é curto, já que muitas cavernas da Indonésia estão se deteriorando rapidamente. Os cientistas alertam para o risco das pinturas mais antigas desaparecerem antes mesmo de serem relatadas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade