Clique e assine a partir de 8,90/mês

Continência

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h22 - Publicado em 28 fev 1989, 22h00

Helena Maichrzak

Como surgiu a Continência?

A saudação militar conhecida como “bater continência” surgiu na Idade Média: era um sinal de respeito na presença dos soberanos. Diante do rei, os cavaleiros, que se protegiam com enormes armaduras, eram obrigados a se identificar. Para isso, tinham de erguer a viseira do elmo, o capacete medieval, com a ponta dos dedos da mão direita. O gesto era também um sinal de paz, porque com a mão no elmo o cavaleiro não poderia sacar a espada – e assim evitava reações hostis. Com o tempo esse costume espalhou-se também entre os membros de um mesmo exército: a mão levada à testa era o início de um aceno amigável; servia também como uma espécie de senha, pois tinha muitas variações para confundir os inimigos. Os militares franceses, por exemplo, até hoje cumprimentam-se com a palma da mão voltada para a frente; já os brasileiros batem continência à prussiana, com a palma da mão para baixo.

Publicidade