GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O apogeu do Egito

1700 a.C. - 1300 a.C.<br>Com economia dinâmica e a tecnologia militar mais avançada da época, os faraós do Império Novo estenderam seus domínios até a Mesopotâmia

Texto Reinaldo José Lopes

A civilização do Nilo era uma potência desde a sua formação, por volta de 3000 a.C. (leia mais nas páginas 18 e 19). Mas foram os faraós do chamado Império Novo, a partir de 1570 a.C., que elevaram seu poderio a níveis que jamais seriam superados na história do Egito. Adotando a revolucionária tecnologia do carro de guerra – arqueiros puxados por cavalos fortes e muito velozes -, o Exército egípcio transformou em vassalos os povos da Palestina, de boa parte da Síria e da Núbia (atual Sudão). A fronteira do Egito foi empurrada para além do rio Eufrates, em plena Mesopotâmia.

Sob o reinado do faraó Amenófi s 3º (1391 a.C. a 1353 a.C.), os egípcios atingiram seu apogeu, constituindo a mais rica e poderosa civilização do Mediterrâneo. Cartas enviadas de regiões conquistadas e por povos aliados hoje são documentos históricos que atestam o prestígio internacional de que gozavam. Obras faraônicas desse período, como as ampliações do espetacular templo de Karnak, perto de Luxor, são provas de que dinheiro era o que não faltava para o faraó.

Cada um no seu quadrado
A pirâmide social do Egito antigo

Num império em que o soberano era considerado um deus vivo, quase não havia mobilidade social. Abaixo do faraó, nobres e principalmente sacerdotes gozavam de alto prestígio também por sua ligação com os deuses. Garantindo as conquistas egípcias, os integrantes do Exército vinham a seguir. Artesãos produziam bens essenciais para as classes superiores. Mas quem realmente sustentava o Egito era a grande massa de agricultores pobres.


1700 a.C.

ÁFRICA E O. MÉDIO
• Astrônomos babilônios registram aparições do planeta Vênus.

EUROPA
• Os micênicos se estabelecem na Grécia e constroem fortalezas no topo de colinas.

AMÉRICAS
• Os olmecas esculpem blocos de basalto sem a ajuda de ferramentas de metal.

ÁSIA E OCEANIA
• Arianos migram para o vale do Indo e controlam a região.

1600 a.C.

ÁFRICA E O. MÉDIO
• Os hititas invadem e saqueiam o Império Babilônico.

ÁSIA E OCEANIA
• A primeira fase da civilização japonesa (Jomon) atinge o auge.

1500 a.C.

EUROPA
• A civilização micênica domina a ilha de Creta e estende sua influência até a Anatólia.

ÁSIA E OCEANIA
• Uma espécie de búfalo (o asiático) é domesticada na China.

AMÉRICAS
• A influência da civilização olmeca já se estende do golfo do México ao Pacífico.
• No Peru, o uso de metais começa a se difundir.

1400 a.C.

EUROPA
• Povos espalhados por toda a Europa começam a erguer vilas fortificadas.

ÁFRICA E O. MÉDIO
• Tutancâmon assume o trono o Egito com apenas 9 anos de idade.

1300 a.C.

Enquanto isso, na Grécia… Micênicos

Máscaras mortuárias de ouro, pinturas que mostram cenas de guerra… Tudo isso toma conta da Grécia a partir de 1600 a.C. Hoje, são artefatos arqueológicos que documentam a civilização micênica, povo que falava uma forma primitiva da língua grega e tomou o lugar dos minoicos como senhores do mar Egeu. A julgar pelo grande número de fortalezas que construíram, como Micenas e Tirinto, parecem ter sido uma aristocracia guerreira, que adotou a religião e a cultura dos antigos habitantes de Creta. Eles adaptaram a escrita minoica para registrar o comércio de animais, escravos e armas.

Sopa de letrinhas
Os sinais da escrita micênica eram síbalas

A escrita Linear B dos micênicos (que recebeu esse nome por ser uma modifi cação da Linear A minoica) era um silabário. Ou seja: seus caracteres (ao lado), representavam sílabas – à exceção de alguns poucos elementos que tinham valor de conceitos completos (ideogramas). Veja no quadro abaixo a formação de duas palavras na escrita micênica.

Economia diversificada
Os egípcios faziam de tudo um pouco no vale do Nilo

1. Da Palestina, eles importavam cavalos, escravos e cerâmicas.

2. Criava-se gado e outros animais nas terras mais altas, a fim de protegê-los das enchentes.

3. Solos arados produziam cereais, principalmente trigo e cevada.

4. As inundações periódicas do Nilo fertilizavam a terra, garantindo boas colheitas ao longo do ano.

5. Grãos eram armazenados em potes de argila.

6. Produziam-se tecidos a partir do linho, uma planta nativa, que passou a ser cultivada no vale.

7. Os peixes fisgados no rio Nilo eram secados ao sol, para que pudessem ser estocados.

8. Veículos sobre rodas também eram usados para obter carne de caça.

9. Marfim, ouro, peles e escravos eram negociados com os núbios.