Clique e Assine por apenas 8,90/mês

Pegadas de neandertais indicam que eles eram mais altos do que se pensava

Algumas das 257 pegadas recém descobertas na França foram feitas por indivíduos 10 cm maiores que a média de altura desses hominídeos.

Por Ingrid Luisa - 11 set 2019, 18h40

Já se sabia que os neandertais caçavam com lanças, pintavam paredes e até usavam plantas para curar feridas. Apesar disso, ainda sobram mistérios sobre esses nossos parentes extintos há 40 mil anos. Agora, o descobrimento de 257 pegadas de neandertais em Le Rozel, no norte da França, revelam algo inusitado: alguns deles eram mais altos que qualquer cientista imaginava.

Datadas de 80 mil anos, os vestígios formam o maior conjunto de pegadas neandertais já encontrado. Elas sugerem que ali passou um grupo composto por 10 a 13 hominídeos, a maioria crianças – a mais nova deveria ter uns 2 anos de idade. As descobertas foram anunciadas na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). Antes delas, apenas nove pegadas de neandertais haviam sido descobertas.

De acordo com os pesquisadores, foi quase um milagre encontrar esses vestígios no grau de conservação em que estão: como as pisadas foram deixadas em solo lamacento, elas acabaram sendo preservadas pela areia movida pelo vento, numa época em que a região fazia parte de um conjunto de dunas. Por conta disso, as pegadas de Le Rozel estavam em 5 camadas diferentes de sedimentos. Dezenas de metros de areia precisaram ser extraídos com pás mecânicas para alcançar a camada específica que continha 80% do número total de pegadas, estendendo-se por uma área de 92 metros quadrados.

Embora os pesquisadores não tenham encontrado ossadas de neandertais no local, os arqueólogos cravam que os vestígios são deles, simplesmente porque não havia outro tipo de hominídeo na Europa da época – o Homo sapiens só chegaria 35.000 anos depois. Vale lembrar que os neandertais não se ramificaram diretamente da nossa espécie: ambos descendem de uma ancestral comum mais antigo, provavelmente o Homo Heidebergensis, de origem africana, mas evoluíram inicialmente em continentes diferentes: nós, na África, eles, na Eurásia.

Continua após a publicidade

Cada uma das pegadas encontradas na França foi fotografada e modelada em 3D. Através delas – que são mais largas que as pegadas dos Homo sapiens, já que os pés deles eram maiores – os pesquisadores puderam estimar o tamanho dos indivíduos. E aí veio a surpresa: alguns deles eram bem altos.

Antes, baseado em ossadas desses hominídeos, achava-se que os neandertais eram menores que o Homo sapiens, medindo entre 1,50m e 1,65m de altura. Mas algumas pegadas de Le Rozel parecem ter sido feitas por indivíduos de 1,75m. Isso é maior que a média masculina no Brasil – por volta de 1,73.

Publicidade