Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como o papagaio aprende a falar?

Em vez de cordas vocais, os pássaros têm seringes – duas laringes que funcionam como caixas de ressonância.

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h27 - Publicado em 18 abr 2011, 18h59

Ao contrário do que muita gente acredita, os papagaios não são as únicas aves capazes de imitar a voz humana, além de outros sons. Todos os pássaros podem fazer isso, porque possuem uma membrana chamada seringe, que fica entre os pulmões e a traquéia e permite a emissão de um número ilimitado de sons. O fator-chave é que papagaios, anuns e gralhas, para citar apenas algumas espécies, são também seres extremamente sociais, que vivem em bandos e costumam reunir-se de noite para, por meio do canto, trocar informações sobre alimentos, por exemplo. O canto também pode ser usado para alertar sobre a proximidade de um predador e iniciar uma fuga. “Quando, porém, essas aves são postas em cativeiro, sua comunicação é interrompida, o que as deixa profundamente frustradas”, explica o ornitólogo francês Jacques Veillard, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

A única compensação encontrada é imitar os sons domésticos mais comuns, como o ruído do telefone e as palavras mais usadas pelas pessoas da casa. Existem pássaros que fazem isso ainda melhor que o papagaio, como o mainá, da Índia.

Em vez de cordas vocais, os pássaros têm seringes – duas laringes que funcionam como caixas de ressonância. São elas que permitem a aves como o papagaio imitar a voz humana

Publicidade