Clique e assine a partir de 8,90/mês

Como são feitos os dicionários?

Além do significado do vocábulo, um verbete traz outras informações curiosas

Por Redação Mundo Estranho - Atualizado em 14 fev 2020, 17h49 - Publicado em 18 abr 2011, 18h54

O primeiro passo é preparar um grande inventário de palavras, usando como material obras literárias, jornais, revistas, bulas de remédio, manuais técnicos e praticamente tudo relacionado à língua corrente. É claro que o levantamento não começa do zero, pois dicionários antigos também são utilizados para abastecer o gigantesco arquivo. As milhões de palavras que aparecem nesse material são então cadastradas com a ajuda de um leitor óptico, um tipo de scanner, que passa esses dados para a memória de um computador. Novamente com o auxílio da informática, o passo seguinte é cruzar as vezes que cada vocábulo surge, descobrindo quais são os mais freqüentes na língua e que efetivamente serão publicados.

“Uma língua tem milhões de palavras, das quais apenas uma parte fará parte do dicionário”, diz o lexicógrafo (autor de dicionários) Mauro de Salles Villar, diretor do Instituto Antônio Houaiss, entidade responsável por um dos principais dicionários da língua portuguesa, o Houaiss, que possui quase 230 mil verbetes. Após serem definidas as palavras que entrarão na obra, é hora de preparar o texto dos seus significados, além de pesquisar outras informações que podem complementar os verbetes, como a origem do vocábulo e a data em que ele passou a ser usado na língua. Todo esse trabalho pode levar anos ou até décadas e, invariavelmente, envolve uma grande equipe de pesquisadores. O dicionário Houaiss levou 15 anos para ser feito, contando com mais de 200 colaboradores e lexicógrafos do Brasil e de outros países de língua portuguesa.

O fruto de tanto trabalho

Além do significado do vocábulo, um verbete traz outras informações curiosas

1. A abreviação s.m. quer dizer “substantivo masculino”. Ou seja, a classificação da palavra na língua portuguesa

2. Essas siglas informam quando a palavra entrou no idioma, no ano 870; c.f. quer dizer “confronte”, indicando a necessidade de outra pesquisa para maior precisão. Já JM3 mostra de onde saiu a data, um dicionário etimológico escrito por José Pedro Machado

3. Cada número em negrito, como esse 1, indica um sentido diferente que a palavra analisada possui

4. MASTZOO é a abreviação de “mastozoologia”, ou estudo dos mamíferos, classe da biologia da qual fazem parte os cavalos

5. A abreviação fam. indica “família”, que é uma das categorias em que os animais são divididos nas classificações da biologia

Continua após a publicidade

6. As iniciais p.metf. pej. indicam “por metáfora pejorativa”. Nesse trecho do verbete são apresentados usos da palavra cavalo como sinônimo de insultos

7. A letra P vem de Portugal. Nessa parte do verbete será apresentado um outro significado de cavalo específico para aquele país

8. AGR é a abreviação de “agricultura”, pois, além de designar um animal, a palavra cavalo também indica um tipo de enxerto

9. ETIM lat. se refere a “campo de etimologia latina”. Ou seja, aqui se mostra a origem da palavra cavalo, que vem do latim caballus

10. Já o trecho ‘cavalo castrado, esp. cavalo de trabalho’ aponta o significado do termo na origem latina. A abreviação esp. é usada para “especialmente”

11. A abreviação f.hist. resume “forma histórica”. Aqui são mostradas as diferentes maneiras de escrever a palavra cavalo ao longo dos séculos, desde o ano 870

LEIA MAIS

– Como é feito vidro?

– Como é feito papel?

Continua após a publicidade
Publicidade