Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como se forma a remela?

Um dos principais ingredientes para a formação da remela é a glândula de Meibômo

Por Geiza Martins Atualizado em 4 jul 2018, 20h20 - Publicado em 8 jan 2015, 17h22

1. O olho despeja um monte de fluidos ao longo de uma noite de sono. Além da secreção da membrana conjuntiva, que protege o globo ocular de corpos estranhos, existe a lágrima, cuja função é lubrificá-lo. Ela é formada pela glândula lacrimal e composta de água, sais minerais, proteínas e gordura

2. Outra fonte de gordura – um dos principais ingredientes para a formação da remela – é a glândula de Meibômo. A meleca secretada por ela tem a função de diminuir a evaporação da lágrima. Quando há disfunção nesse abastecimento de gordura, surge a chamada síndrome do olho seco

3. Toda vez que piscamos, espalhamos as secreções já mencionadas pelo globo ocular com o objetivo de lubrificá-lo, além de permitir uma limpeza natural da córnea. E, a cada piscada, o excesso das secreções é empurrado, aos poucos, para o canto dos olhos

4. O duto lacrimal absorve somente a parte líquida da lágrima, restando muco, camada oleosa e sujeira acumulada. À noite, nossas glândulas lacrimais reduzem a produção da parte aquosa da lágrima, mas continuam a produzir muco e gordura. O ressecamento dessa meleca toda dá origem à remela

A secreção ocular também pode aumentar quando rola conjuntivite ou blefarite (inflamação da margem da pálpebra devido a excesso de produção de gordura)

– É possível dormir de olhos abertos?

Fontes Sites SUPERINTERESSANTE e Drauzio Varella

Consultoria Erika Yasaki, oftalmologista do Hospital Israelita Albert Einstein

Continua após a publicidade
Publicidade