Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

A origem dos amigos de Ronald McDonald (e que fim levaram)

Eles faziam parte de um universo criado pela empresa nos anos 1970 – mas que foi descontinuado nos anos 2000.

Por Rafael Battaglia Atualizado em 10 Maio 2021, 15h27 - Publicado em 24 jul 2018, 14h00

Em 1971, o McDonald’s decidiu que precisava de personagens para atrair mais crianças a suas lanchonetes. Então, surgiu a McDonaldland, um mundo mágico que tinha Hamburglar (Papa-Búrguer, no Brasil) e Grimace (Shake), além, claro, de Ronald McDonald, criado em 1963. Em 1980, Birdie entrou para a turma.

A rede de lanchonetes só decidiu aposentar os mascotes em 2003. Desde então, ela tem focado em campanhas para um público mais velho – é a era do “Amo muito tudo isso”. Mas, mesmo fora da TV, os personagens ainda podem aparecer em decorações dos restaurantes mais antigos.

SHAKE

.
McDonald’s/reprodução/Mundo Estranho


Inicialmente pensado como vilão que roubava milk-shakes, ele precisou virar bonzinho quando o marketing do McDonald’s percebeu que o monstro roxo escamoso de quatro braços assustava as crianças. Assim, Shake mudou de forma e virou um bichão inofensivo e sorridente. Neste vídeo, dá para ver como ele era originalmente.

  • RONALD MCDONALD

    O palhaço, em sua versão original, tinha chapéu em forma de bandeja, um copo plástico no nariz e um cinto mágico com comida infinita. Hoje, para evitar críticas de que as crianças estariam sendo influenciadas, Ronald não aparece comendo em nenhuma propaganda da empresa. Em 1963, ele era bizarro:

    Continua após a publicidade

    BIRDIE

    A primeira personagem feminina da marca foi bolada para promover um novo menu para o café da manhã (nos EUA, quem acorda cedo é chamado de “early bird”, daí seu nome). Apesar de ser um canário vestida de aviadora, ela era meio desastrada ao voar, como mostra este comercial de 1980.

    PAPA-BÚRGUER

    .

    Mudou muito ao longo das décadas. No começo, era um vilão feioso obcecado por hambúrguer (imagem acima). Depois, foi suavizado para ter maior aceitação. Em 2015, uma campanha nos EUA ressuscitou o personagem em uma versão em carne e osso que parecia um Zorro metido a galã e sem humor. Não deu muito certo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade