Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O que chacoalha no chocalho da cascavel?

Nada. O barulho é gerado pela bateção e o atrito entre as próprias peças que compõem a extremidade da cauda da cascavel, chamadas guizos.

Por Leandro Saioneti Atualizado em 27 jan 2021, 11h55 - Publicado em 2 Maio 2018, 16h07

Nada. O barulho é gerado pela bateção e o atrito entre as próprias peças que compõem a extremidade da cauda da cascavel, chamadas guizos. Não há pedras ou bolinhas que se agitem dentro deles – como ocorre com aquele chocalho que você faz na pré-escola com areia e potes de iogurte.

Os guizos são ocos e feitos de queratina, a mesma proteína rígida que forma nossas unhas, os cascos de cavalos e os chifres dos cervos (daí a dureza ser suficiente para utilizá-los como um instrumento de percussão). 

A cascavel nasce sem nenhum guizo. Eles se formam durante as trocas de pele, que ocorrem três ou quatro vezes por ano na natureza (e às vezes mais em cativeiro).

A pele antiga solta da cabeça para a cauda, e vai virando do avesso conforme sai – exatamente igual acontece quando você tira uma meia puxando a partir do tornozelo. Ao chegar no final, um trecho da pele fica preso no primeiro guizo, formando um novo guizo abaixo dele. 

Isso torna possível estimar a idade da cobra por meio do número de guizos, ainda que não com precisão absoluta. Uma cobra com nove anéis no chocalho provavelmente tem algo entre dois e três anos. O ritmo das trocas de pele é influenciado por questões como ambiente, saúde, idade, clima e alimentação.

A pontinha do chocalho é menor porque os anéis mais antigos foram criados quando a serpente era jovem e pequena – e o animal pode perder parte dos anéis ao longo da vida em decorrência de ataques de predadores.

.

Fontes: Giuseppe Puorto, biólogo e diretor do Museu Biológico do Instituto Butantan, Luiz Antônio B. de Mello Lula da Fundação Parque Zoológico de São Paulo.

Continua após a publicidade
Publicidade