Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Por que o nome de alguns países muda de um lugar para outro?

Questões culturais. Mas já teve até jogada de marketing viking nisso

Por Marina Motomura Atualizado em 14 fev 2020, 17h52 - Publicado em 18 abr 2011, 18h35

Na maioria dos casos a mudança é uma tradução do nome original para outra língua (por exemplo, a mudança de Hrvatska para Croatia ou Croácia) ou, simplesmente, uma divergência sobre a característica que justifica o nome. Para ficar mais claro, um bom exemplo dos dois casos é a Alemanha. O nome original, Deustchland, significa “terra do povo”. Na Lituânia, a Alemanha é chamada de Vokietija, que não parece ter nada a ver com Deustchland, mas também baseia-se na palavra “povo”. Na Finlândia, Alemanha é Saksa, que nada tem a ver com “povo”, mas, sim, com os saxões, antigos habitantes da região da Germânia – e daí vem o Germany, usado na língua inglesa.

Os russos (que usam Nemtsy), poloneses (Niemcy), checos e eslovacos (Nemecko) fazem ainda outra relação: seus nomes para o país remetem à palavra “mudo”, que pode ser entendida como “povo que não fala a nossa língua”. Por fim, Alemanha, em português, e Allemagne, em francês, fazem referência à terra dos alamanos, uma tribo que habitava a região da atual Alemanha por volta do século 3.

  • Atlas poliglota

    Tem região que mudou de nome por puro marketing

    CROÁCIA
    Nome original: Hrvatska
    Por que tem nomes diferentes – Croácia surgiu como uma tentativa de traduzir “Hrvatska” para o latim. Curiosamente, o nome croata inspirou a palavra gravata, que veio do francês cravate, que, por sua vez, veio de hravat. Durante a Guerra dos 30 Anos (no século 13) as tropas do rei francês Luis 13 contavam com mercenários croatas, que usavam um tecido pendurado no pescoço. A moda pegou na França e o nome do adereço homenageou seus criadores

    CHINA
    Nome original: Zhongguo
    Por que tem nomes diferentes – China significa “terra dos Chin (ou Qin)”, em homenagem à dinastia Qin, que unificou o território chinês no século 3 a.C. A dinastia Han, que substituiu os Qin, instituiu o nome Zhongguo (“país central”), mas, no século 13, quando o viajante Marco Polo passou pela China, o país tinha voltado ao nome original. Zhongguo só foi retomado no século 20, quando o mundo já conhecia a China como China mesmo

    GRÉCIA
    Nome original: Hellas
    Por que tem nomes diferentes – Grécia vem de Graecus, o nome de uma das tribos originais da Grécia, que teria surgido para homenagear Graecus, o filho de Pandora. Os estrangeiros, que levaram o nome do país ao mundo, certamente tiveram mais contato com essa tribo do que com o resto dos gregos, que chamavam o país de Hellas, em referência a Hellen (ou Heleno), filho de Deucalion e patriarca dos helênicos

    Continua após a publicidade

    COREIA
    Nome original: Hanguk, pelos sul-coreanos, e Choson, pelos norte-coreanos
    Por que tem nomes diferentes – Coréia vem de Goryeo, o nome da dinastia que governou a região entre os séculos 10 e 14. Marco Polo também passou por lá e levou para o Ocidente uma pronuncia de “Goryeo” que soava como “Cauli” e, de alguma forma, virou Coreia. Mas os coreanos continuaram com seus nomes originais: no sul, Hanguk, e, no norte, Choson, referente à dinastia de mesmo nome, que imperou entre 1392 e 1910

    LITUÂNIA
    Nome original: Lietuvos
    Por que tem nomes diferentes – O nome original, Lietuvos, foi adaptado pelos romanos para o latim Litus. Em latim, litus significa “tubos”, o que leva a crer que a tradução pode ter como referência os instrumentos de sopro – parecidos com trompetes, mas feitos de madeira – tocados por algumas tribos nativas da região. De qualquer forma, essa associação ainda não tem muitas provas a favor

    NORUEGA
    Nome original: Norge
    Por que tem nomes diferentes – Esta é a mais fácil de explicar. O nome original foi formado pelas antigas palavras nordr e vegr, que juntas significam “caminho do norte” (norte da Europa, claro). Em inglês, o nome foi traduzido ao pé da letra e, juntando-se as palavras norte (north) e caminho (way), chegou-se a Norway. Mas, em português, Noruega veio da pronúncia do vocábulo primitivo – nordrvegr

    GROENLÂNDIA
    Nome original: Kalaallit Nunaat
    Por que tem nomes diferentes – A versão original Kalaallit Nunaat (“terra dos humanos”, em um dialeto nativo) não tem nada a ver com a Groenlândia ou Greenland (em inglês) que o resto do mundo conhece. Isso porque o viking Erik, o Vermelho, que “descobriu” a região, deu um golpe de marketing: para atrair moradores, nomeou o local gelado de “terra verde”, embora, até hoje, a região, que pertence à Dinamarca, seja totalmente branca

    JAPÃO
    Nome original: Nihon (versão informal) e Nippon (formal)
    Por que tem nomes diferentes – Os portugueses, durante as navegações, chegaram à Malásia e lá constataram que, ao se referir ao Japão, eles pronunciavam algo como “Cipangu” (que, supostamente, veio do nome chinês, que significa “origem do sol”, e é pronunciado como “Riben”). Tentando transferir o som que ouviam para o papel chegaram a Japão, em português, que, mais tarde, virou Japan, em inglês

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade