Clique e assine a partir de 8,90/mês

Qual é o instrumento usado para cortar metais no fundo do mar?

Por Redação Mundo Estranho - Atualizado em 4 jul 2018, 20h22 - Publicado em 18 abr 2011, 18h54

Há diversos instrumentos, e não são muito diferentes dos que são usados na superfície. O equipamento mais comum é o chamado maçarico de oxi-corte, muito útil também fora da água para cortar folhas de metal em indústrias. Primeiro, a chama do maçarico – criada pela queima de um gás como o acetileno ou mesmo o gás de cozinha – eleva o metal a mais de mil graus centígrados, temperatura em que ele pode se oxidar – em outras palavras, enferrujar. Para que isso aconteça, ao mesmo tempo o maçarico dispara um jato de oxigênio puro, com alta pressão, que corrói o metal já desgastado, fazendo um corte perfeito. E é exatamente essa combinação de dois jatos, um de gás e outro de oxigênio, que permite à chama do maçarico permanecer acesa mesmo embaixo da água. Porém, algumas ligas metálicas, como o aço inoxidável, não sofrem esse enferrujamento rápido. Aí, o jeito é usar o corte por plasma. O plasma é uma espécie de gás energizado, no qual os átomos se transformam em íons, ou seja, ficam eletricamente carregados.

Por isso, o plasma pode conduzir uma corrente elétrica fortíssima pelo metal, derretendo-o rapidamente. Para se ter uma idéia, a temperatura desses jatos de plasma é da ordem de 15 mil graus centígrados! Uma outra técnica mais recente é o corte com diamante, a substância mais dura que se conhece. Um longo fio metálico, reforçado com pequenos diamantes, gira em polias, como se fosse uma serra elétrica, cortando o metal. “Todas as técnicas têm lugar no mercado, mas existem alguns aspectos técnicos e preocupações ambientais que favorecem a tecnologia por fio de diamante”, diz o engenheiro Eddie Grant, representante de uma empresa especializada em corte submarino.

Publicidade