Clique e assine a partir de 5,90/mês

Qual é a maior temperatura já registrada no Brasil? E no mundo?

Sim, está calor. Mas poderia estar ainda mais. Veja os maiores extremos que o termômetro já alcançou.

Por Redação Mundo Estranho - Atualizado em 18 jan 2019, 12h36 - Publicado em 18 abr 2011, 18h51

No Brasil, o recorde é da cidade de Bom Jesus, no Piauí, que alcançou 44,7 graus no verão de 2005. Já a maior temperatura ambiente registrada no mundo foi no Vale da Morte, na Califórnia, no dia 10 de julho de 1913: inacreditáveis 56,7 graus. Picos assim são causados por ondas de calor que podem durar alguns dias ou várias semanas.

“Considera-se uma onda de calor quando a temperatura atinge cerca de 32 ºC e, normalmente, cinco graus acima do normal para aquela área. Isso durante, no mínimo, uns dois dias”, diz a meteorologista Micheline de Sousa Coelho, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em São Paulo. Apesar de não saberem ao certo os motivos que levam a esses aumentos bruscos de temperatura, os pesquisadores afirmam que isso tem sido muito comum, principalmente nas cidades grandes.

“Em São Paulo, por exemplo, tem-se observado uma elevação de temperatura considerável na última década”, afirma Micheline. Alguns especialistas acreditam que as causas de tanto calor são fatores naturais e que isso seria parte de um ciclo, como o ocorrido durante o derretimento das geleiras no fim das eras glaciais. A grande maioria dos estudiosos, porém, aposta que a bagunça climática é resultado do efeito estufa, que estaria provocando um aquecimento global.

A emissão de gases como o gás carbônico e o metano, resultantes do desmatamento de florestas e da queima de combustíveis, funciona como um cobertor que retém o calor na Terra, causando o polêmico efeito. O resultado é o intenso calor durante os verões dos quatro cantos do planeta. O maior problema das ondas de calor é que as pessoas nem sempre estão prontas para enfrentá-las, o que causa muitas mortes por desidratação e insolação.

Mas lá em Curitiba…

Conhecida pela fama de fria, Curitiba, no Paraná, possui uma vizinha bem mais quente. A 90 quilômetros da capital do estado está a cidade de Antonina, que no final de 2018 registrou sensação térmica de impressionantes 81oC.

No dia 18 de dezembro, o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) divulgou que os termômetros da cidade atingiram uma máxima próxima ao do recorde de Bom Jesus: 44,3ºC. A sensação térmica é medida usando variáveis como a velocidade do vento e a umidade do ar. Quanto maior a umidade, maior será a sensação de calor.

Continua após a publicidade
Publicidade