Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Proteína é associada à demência em idosos, aponta estudo

Em excesso no cérebro, a TDP-43, envolvida com o DNA, aumenta o risco de desenvolver doenças neurodegenerativas.

Por Alexandre Carvalho Atualizado em 1 ago 2022, 17h39 - Publicado em 28 jul 2022, 16h17

É natural. Com a idade avançada, há um declínio progressivo das funções cognitivas. Nossa memória e raciocínio deixam de operar com a eficiência de sempre. Mas, em alguns casos, a perda é catastrófica, mais rápida e com uma intensidade maior. E aí já estamos falando de demência: uma série de sintomas neurológicos que podem destruir a capacidade de comunicação, de entendimento e provocar uma amnésia completa no indivíduo, como acontece nos que têm Alzheimer. 

Genética e hábitos de vida contam para determinar quem vai desenvolver demência senil. Mas um novo estudo identificou um fator que associa esses transtornos a uma roleta-russa. É a presença da proteína TDP-43. Em excesso, ela contribui para um risco maior de se ter doenças degenerativas nos idosos. 

A neurociência já estabeleceu até um nome para designar a demência associada à proteína: LATE-NC (sigla em inglês para encefalopatia da TDP-43 relacionada à idade com predominância no sistema límbico). Encefalopatia é qualquer doença que mexa com a estrutura e o funcionamento do cérebro. O sistema límbico é a parte cerebral responsável por nossas emoções. 

Todo mundo possui essa proteína. Ela tem papel na regulação da estabilidade do mRNA. E isso é fundamental. O ácido ribonucleico mensageiro (mRNA) é uma molécula que conduz o código genético do DNA para o mecanismo de produção de proteínas da célula. Sem ele, não teríamos proteínas. Nem vida. O problema é o excesso da TDP-43. 

Continua após a publicidade

O estudo avaliou autópsias de cérebros de participantes que concordaram em ter seu órgão doado para a ciência depois da morte. Analisando alterações neuropatológicas do Alzheimer e outros transtornos, os pesquisadores encontraram a ligação entre a encefalopatia da TDP-43 relacionada à idade e a esclerose e outros sintomas de demência. 

O dobramento incorreto da proteína também explica um aumento de toxicidade observado em pacientes com esclerose lateral amiotrófica (ELA), o mesmo distúrbio degenerativo que acabou com os movimentos e a fala do físico Stephen Hawking

“Outros estudos que injetaram a proteína no hipocampo de camundongos confirmaram que essa superexpressão é prejudicial à cognição”, aponta o neurocientista Fabiano de Abreu Agrela.

Segundo os autores do estudo, dados os efeitos cumulativos de anormalidades neuropatológicas, a descoberta de como abrandar a prevalência da LATE-NC “será vital para o objetivo de reduzir o risco de demência nos idosos mais velhos”.

Compartilhe essa matéria via:

Continua após a publicidade

Publicidade
Saúde
Proteína é associada à demência em idosos, aponta estudo
Em excesso no cérebro, a TDP-43, envolvida com o DNA, aumenta o risco de desenvolver doenças neurodegenerativas.

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade