Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

James Webb: por que há uma campanha para mudar o nome do telescópio?

A discussão ganhou força com o lançamento das primeiras imagens feitas pelo telescópio. Webb chegou a comandar a Nasa, mas seu nome está associado à perseguição que o governo dos EUA empregou contra funcionários homossexuais.

Por Luisa Costa Atualizado em 9 ago 2022, 13h43 - Publicado em 15 jul 2022, 19h33

O lançamento das primeiras imagens do Telescópio Espacial James Webb (JWST, na sigla em inglês) nesta semana reacendeu uma discussão nas redes sociais. Desde o início de 2021, pesquisadores pressionam a Nasa para renomear a maior e mais complexa engenhoca de observação que já mandamos para o espaço.

O telescópio espacial de 10 bilhões de dólares homenageia James Edwin Webb, que foi subsecretário de Estado dos EUA entre 1949 e 1952. Após esse período, ele se tornou administrador da Nasa (o segundo da história da agência) entre 1961 e 1968, quando esteve à frente da maioria das missões Apollo – que culminaram na chegada do homem à Lua, em 1969.

Acontece que o legado de Webb é, no mínimo, complicado: hoje, não faltam alegações referentes à cumplicidade do americano diante da discriminação homofóbica empregada pelo governo federal dos EUA naquela época.

Perseguição

Em meados do século 20, rolou no país uma “caça às bruxas” da comunidade LGBTQIA+. Na chamada Lavender scare (“Susto de Lavanda”, em tradução livre), gays e lésbicas eram considerados um perigo à nação – um mal a ser combatido (algo similar à caça a comunistas que o governo americano também realizava na época). Houve uma demissão em massa de homossexuais que trabalhavam no serviço público. 

Continua após a publicidade

Arquivos indicam o envolvimento de Webb em discussões no Senado americano que deram início a essa política. Além disso, um funcionário da Nasa chamado Clifford Norton foi demitido em 1963 (época em que a agência estava sob administração de Webb), acusado de “conduta imoral, indecente e vergonhosa” depois de ser interrogado por suspeita de homossexualidade.

A posição da Nasa

Em setembro de 2021, a Nasa anunciou em comunicado que não mudaria o nome do telescópio porque não havia encontrado evidências que justificassem tal medida – mas não divulgou nenhum relatório sobre a investigação. 

A decisão e a falta de transparência irritou astrônomos e apoiadores da causa, que desde então recolheram mais de 1,7 mil assinaturas em uma petição pela alteração de nome do telescópio espacial. A hashtag #RenameJWST também ganhou mais força no Twitter após a divulgação das primeiras imagens do JWST.

O JWST foi construído como um sucessor para o Telescópio Espacial Hubble, em um projeto que durou duas décadas. Ele vai enxergar a luz (invisível) das primeiras galáxias do Universo, que surgiram há mais de 13 bilhões de anos. Você pode entender como ele funciona nesta reportagem da Super.

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade
Sociedade
James Webb: por que há uma campanha para mudar o nome do telescópio?
A discussão ganhou força com o lançamento das primeiras imagens feitas pelo telescópio. Webb chegou a comandar a Nasa, mas seu nome está associado à perseguição que o governo dos EUA empregou contra funcionários homossexuais.

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade