Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Manual: como começar a surfar?

Tá dando onda: saiba como escolher a prancha ideal e os truques para vencer a arrebentação – e não tomar um caldo.

Por Rafael Battaglia
17 fev 2023, 10h28

1 – Conheça as pranchas

Ilustração dos tipos de prancha de surf.
(Karipola/Superinteressante)

As shortboards são pequenas, ágeis para manobras. Mas vá com calma. Comece pelas de tamanho intermediário ou grande (as famosas longboards), que oferecem maior flutuação e estabilidade. 

Boas longboards podem custar de R$ 600 a R$ 4 mil. Mas não compensa gastar com uma prancha zero quilômetro logo de cara. Em vez disso, compre uma usada (em bom estado, claro) até se familiarizar com o esporte – e descobrir qual modelo funciona para você.

Continua após a publicidade

2 – Vença a arrebentação

Ilustração de uma mulher remando na prancha.
(Karipola/Superinteressante)

Ande em direção às ondas com a prancha ao seu lado, com o bico dela para frente. Para remar, braçadas muito rápidas não são eficazes. Prefira movimentos devagares e consistentes, que puxem o máximo de água possível. Contraia o abdômen e mantenha as pernas bem esticadas (imagine que há uma almofada entre elas e o seu objetivo é apertá-la) – isso fará com que a remada fique ainda melhor, já que o movimento não ficará restrito apenas à força dos braços.

3 – Entrando na onda

Ilustração de uma mulher surfando e mirando num guarda-sol na praia.
(Karipola/Superinteressante)

Localize o pico, o ponto mais alto da onda, vire-se de costas para ela e comece a remar. Escolha um ponto fixo na praia (um prédio, um guarda-sol, um quiosque) para se manter sempre na mesma direção. Quando a onda bater no seu pé, acelere a remada até sentir que você ganhou velocidade – e que o bico da prancha apontou para baixo. 

4 – A hora do “drop”

Continua após a publicidade
Ilustração de uma mulher surfando.
(Karipola/Superinteressante)

O movimento para ficar de pé (o tal do drop) precisa ser rápido – do contrário, você vai cair. Comece pelos braços. Depois, a perna que ficará atrás e, por fim, a da frente. Flexione os joelhos, como se fosse fazer um agachamento, e posicione os pés em cima da longarina – faixa de madeira que marca o centro da prancha. O de trás fica perpendicular em relação à longarina. O da frente, levemente inclinado, um meio-termo entre virado de lado e de frente.

Posicione os braços como se fosse atirar uma flecha com um arco: braço de trás próximo ao rosto; o da frente, estendido. Eles servem de contrapeso, e vão te ajudar a manter a estabilidade, tanto para as partes dianteira e traseira da prancha quanto nas bordas laterais.

Continua após a publicidade

Para saber mais

– Não tenha pressa. Ainda em terra firme, observe os intervalos entre as séries de ondas e os momentos de calmaria. Dessa forma, você entra no mar sabendo as condições que vai encarar.

– Pergunte ao salva-vidas da praia quais os locais indicados para surfar e cumprimente os outros surfistas. Eles podem te ajudar no caso de algum problema na água – especialmente se você estiver sozinho.

Continua após a publicidade

– A base regular consiste em pé esquerdo na frente, direito atrás. A goofy, o oposto. Mas tanto faz: escolha a perna com a qual você tem mais estabilidade para ir atrás – e treine apenas nessa base.

– Não mora no litoral? Algumas academias oferecem treinos funcionais que simulam os movimentos do surfe – e ajudam a aprimorar o equilíbrio. 

Fonte: Kaique Carvalho de Oliveira, professor de surfe (@kakolusurf)

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.