GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Os tambores da Aldeia Global

Como instalar um modem, dispositivo que coloca o micro doméstico em rede com milhões de pessoas superinteressante em todo o mundo.

São mais de 20 milhões de pessoas espalhadas por todo o planeta – desde um solidário geofísico no meio da noite gelada da Antártica até o presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton. O traço comum entre essas pessoas é que elas acreditam viver numa nova era, anos-luz à frente da maioria dos cidadãos, transportados no tempo por meio de um dispositivo chamado modem, que coloca em contato microcomputadores pessoas onde quer que exista uma linha telefônica.

Essa comunidade discreta ganhou uma súbita notoriedade nos últimos meses. A revista americana Newsweek tratou do assunto numa reportagem de capa como se estivesse revelando ao mundo a descoberta de uma nova tribo do próximo século, que somente agora faz contato com a civilização contemporânea.
Esta rede que interliga o mundo com seus capilares telefônico estendeu seus tentáculos silenciosamente, de maneira quase anárquica. Agora, quando aparece aos olhos do público amplo, já é uma criatura adulta, ingovernável, capaz de mudar a história, abolindo fronteiras e gerando grupos de poder sem semelhança na crônica dos registros políticos. “Jurando e políticos estão ainda indecisos entre tentar governá-la e policiá-la”, diz a Newsweek.
A revista Scientific American, em sua edição de agosto, faz coro aos profetas da nova era, falando de uma “explosão” de atividade da espinha dorsal dessa rede mundial – a Internet – que apareceu como se saísse do nada para governar o mundo. Ligando hoje 1,7 milhão de computadores (muitos deles multiusuários, como nas Universidades) em 125 países, a Internet nasceu quase ao acaso, como subproduto das pesquisa científicas e militares. A semente foi a rede ArpaNET, criada pelo Departamento de Defesa dos EUA para colocar em contato computadores dos centros de pesquisa. No começo, o crescimento foi lento, pois os pesquisadores somente podiam entrar em contato em tempo real, on-line. Com a proliferação dos micros pessoais, a rede gerou a Internet. O grande salto foi quando se desenvolveram programas automáticos de acesso 24h por dia aos arquivos de um determinado computador, sem a necessidade de um operador, desde que o usuário tivesse uma senha registrada. Nos últimos dois anos o crescimento da rede foi exponencial – o que dá essa impressão registrada pela Newsweek de que a Internet, e suas versões comerciais como a Compuserve, Genie e Prodigy, saíram da nada e apareceram subitamente como uns gingantes.
Superbit deste mês ensina como um leitor que já possui um micro pode instalar uma placa de modem que vai ligá-lo on-line nessa rede de interesses comuns. Existem duas opções básicas de modems, cujo custo começa nos 70 dólares (no exterior, até menos de 30 dólares). A mais fácil é a do modem externo, que é simplesmente ligado por um cabo ao micro e à linha telefônica. A segunda exige conhecimentos de operação de chaves de fenda e parafusos. Ambos os aparelhos servem para fazer a conversão dos sinais binários do computador em tons ou pulsos elétricos das linhas telefônicas. A diferença entre as duas opções está no preço, pois existem versões de desempenho equivalentes para todos os casos.

Modem Externo

Embora um pouco mais caro em geral, é mais fácil de instalar, pois exige apenas a ligação de cabos, tão simples como a interligação de um sistema de som modular. Antes de comprar o aparelho, se a opção externa for a escolhida, é preciso verificar o tipo de entrada serial existente no micro. Ela fica na parte de trás do aparelho com a inscrição COM 1 ou COM 2. Normalmente, á entrada COM 1 é ocupada pelo conector do mouse. Verifique quantos pinos tem o conector: ele pode ser pequeno, com 9 pinos, ou maior, com 25. Especifique isso ao vendedor do modem, para que o cabo correto seja usado. Alguns micros apresentam as duas opções; portanto, prefira um cabo de conexão que encaixe no conector assinalado como COM 2.
Basta ligar o micro e o modem com este cabo, depois conectar no modem os fios da linha telefônica que vêm da parede e outro que vai para o telefone. Normalmente, os conectores telefônicos usam o padrão americano de encaixe e não o nacional, do tamanho de uma caixa de fósforo.
Qualquer loja de telefonia tem adaptadores para esta conversão. Ligue então o modem na tomada elétrica, e configure o seu micro, conforme foi ensinado na edição passa de Superbit, usando o setup, ou instalação em COM 2.

Modem Interno

Está opção exige um pouco mais de trabalho, mas pode ser mais barata. A tampa de aço de micro deve ser desparafusada com o aparelho desligado para se localizarem as filas de encaixes existentes na placa mãe. São os chamados slots, nos quais se encaixa uma aba lateral das placas. Cada slot é protegido do exterior por uma lingueta de aço parafusada do chassi. Ela deve ser removida e guardada. Todo cuidado deve ser tomado na hora de encaixar a placa modem no slot. Toque a mão uma superfície metálica aterrada para descarregar a eletricidade estática do corpo (em dias muitos secos, a carga estática causada pelo atrito dos sapatos com um carpete pode chegar aos 15 mil volts. A corrente é quase imperceptível, mas suficiente para fulminar os chips).
Insira firmemente a placa, parafuse a lingueta na parte de trás (na mesma posição que era ocupada pela lingueta protetora). Ligue os cabos telefônicos que vêm da parede e o que vai para o telefone nas entradas assinaladas na placa. O programa de comunicação que vai ativar a placa deve ser configurado da maneira que foi explicada na última edição de Superbit. Se a ligação com os cabos da linha e do aparelho estiverem firmes e corretas, tudo está pronto para funcionar.

Briga de Porto

Mas eventualmente uma coisa pode dar errada na primeira tentativa. As placas vêm configurada de fábricas para um determinado COM e com outra configuração chamada IRQ. O COM, ou porto, é como se fosse a caixa postal na qual o micro vai procurar o modem. O IRQ dá o grau de prioridade na frequência de consultas feitas a essa caixa postal. A maioria das placas vem configurado para o COM 4 e IRQ 3. Se o mouse está instalado na COM 2, o modem não vai funcionar e deve ser então configurado para COM 1 ou COM 3. Ou seja, se o mouse está num porto par, o modem deve ir num ímpar, e vice-versa.
Outro problema, mais raro, é o mouse estar no COM 1 e o COM 2 estar ocupado por algum dispositivo interno da placa mãe. Nesse caso, o proprietário deve consultar o manual da placa mãe para saber como desabilitar o COM 2. Recomenda-se feita numa assistência técnica, pois ela envolve mudanças em minúscula chaves chamadas jumpers que nem sempre podem ser localizadas pelos leigos.