GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Qual ônibus espacial fez mais missões?

Logo o que homenageou 'Star Trek' não viajou...

 (U.S. Air Force/Tech. Sgt. James R Pearson/Wikimedia Commons)

Foi o Discovery, com 39 voos. Famoso por transportar cargas importantes – como o telescópio Hubble, em 1990 -, cada uma de suas missões não ficou por menos de 450 milhões de dólares.

O Discovery ganhou o nome de um célebre navio, assim como os demais ônibus espaciais da Nasa – com exceção do Enterprise, que homenageia a USS Enterprise, da série Star Trek. A ideia de lançar essas naves ao espaço foi colocada em prática pela primeira vez em 1981, e até 2011 foi mantida pela agência espacial americana.

As missões iam desde a exploração científica até o transporte de satélites, peças e tripulantes à Estação Espacial Internacional, a maior estrutura construída pelo homem no espaço.

Viagem ao espaço
A composição de 2 mil toneladas passeava pelo Universo em viagens que duravam até 16 dias

1. Antes de terminar a contagem, os três motores principais são ligados. Dois foguetes propulsores ajudam o ônibus a decolar e superar a atmosfera. Um minuto após o lançamento, os motores chegam à potência máxima

2. Com dois minutos de voo, os foguetes se separam da nave. Usando paraquedas, que ajudam a diminuir sua velocidade, eles caem próximos à Flórida e são resgatados por barcos da Nasa

3. Passados oito minutos, o tanque externo é expelido. Esse gigante mede 47 m e carrega mais de 700 t de oxigênio e hidrogênio líquidos – combustíveis utilizados pelo ônibus

4. Para chegar à órbita, a nave ativa os motores de manobra. No espaço, as portas do compartimento de carga são abertas para liberar o braço-robô, utilizado para transportar cargas e até pessoas

5. Para voltar à Terra, os astronautas iniciam uma série de manobras. O primeiro passo é girar a nave e colocar os motores na direção oposta – como se engatasse uma marcha a ré – a fim de diminuir a velocidade de entrada

6. De volta à posição original e inclinado a um ângulo de 40o, o ônibus entra na atmosfera da Terra. As camadas externas, feitas de alumínio e grafite, protegem a nave de temperaturas que chegam a 1 650 oC

7. Pouco antes do pouso, o ônibus faz movimentos em S para diminuir a velocidade. Ele tem que estar a cerca de 350 km/h para um pouso ideal, feito da mesma forma que o de aviões comerciais. O paraquedas é o último recurso usado na diminuição de velocidade

  • Os russos também lançaram um ônibus espacial, o Buran, que voou uma única vez, em novembro de 1988. Sem sucesso, o programa foi cancelado em 1993

FUNDO QUENTE

O hidrogênio e o oxigênio líquidos queimados chegam a 3 315 oC, gerando o combustível usado na hora de esquentar os motores

PORTA-MALAS

O compartimento de carga transporta as peças para a construção da Estação Espacial Internacional

CENTRO DE COMANDO
No topo da cabine ficam o comandante, o piloto e os tripulantes. No andar do meio, eles comem e dormem. Abaixo deles fica um espaço para guardar água e oxigênio


Mais viajados

Ônibus espaciais com mais missões

Discovery 39 voos

Atlantis 33 voos

Columbia 28 voos

Endeavour 25 voos

Challenger 10 voos

Enterprise 0 voo

Fontes: Nasa, Kennedy Space Center, Marshall Space Flight Center, How Stuff Works

Veja também
  • query_builder
  • query_builder
  • query_builder
  • query_builder
Newsletter Conteúdo exclusivo para você