GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Radar no olho do furacão

O que milhares de pessoas viram com a ajuda dos efeitos especiais no filme Twister os meteorologistas realizaram na prática, apenas com um pouco mais de cautela. O objetivo era semelhante ao que se buscava no filme: ver o que acontece no coração do vendaval. “Foi emocionante”, contou à SUPER Jerry Straka, da Universidade de Oklahoma, um dos líderes da pesquisa. Ele esteve no caminhão que correu atrás do tornado em Dimmitt, no Texas, mas sem se arriscar em nenhum momento. A distância mais curta a que chegou do monstro foi de 2,8 quilômetros. Do caminhão, um radar dissecou os ventos. “Os sinais de radar batiam em partículas suspensas no ar e voltavam para um sensor”, explicou Straka. Com isso se fez a imagem dos ventos. A experiência confirmou a teoria em vigor: a 200 metros do solo, o tornado atinge a velocidade máxima de 250 quilômetros por hora. Com uma novidade: há uma forte corrente que sobe bem no centro do torvelinho. Isso a teoria não previa. Sobre o filme de Steven Spielberg, os pesquisadores garantem: “Não tivemos nenhuma participação no roteiro”, comentou Joshua Wurman, da mesma equipe. “Mas, afora detalhes só notados pelos meteorologistas, a história está bem feita.”

Imagem da violência

A imagem ao lado, feita por radar, mostra o caminho do vento dentro de um tornado. O olho, bem no centro, é uma região de calmaria, livre da sujeira levantada pela tormenta. A cor preta indica chuva. O vermelho e o amarelo são áreas com grande quantidade de detritos arrancados do chão.