GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Quem inventou o Acre?

Aqui não tem pós-verdade: apesar de Bruno Borges ter colocado o estado mais misterioso do Brasil no radar mundial, ele nada tem a ver com o surgimento do Acre.

E muito menos o Giordano Bruno, que embora tenha sido pioneiro em teorizar sobre um Universo infinito, jamais imaginou que tal infinitude alcançasse território tão remoto – e muito menos que uma estátua sua fosse parar lá mais de 400 anos depois de sua existência material.

O território acreano (ou acriano, segundo o Novo Acordo Ortográfico) foi demarcado e declarado como parte da Bolívia em 1750, com o Tratado de Madri, assinado entre portugueses e espanhóis. O Brasil, oficialmente, nem tinha interesse no território por causa do difícil acesso, no meio da Amazônia. Pelo mesmo motivo, os bolivianos não colonizaram a região.

Até que pintou o interesse dos gringos pela borracha produzida a partir das seringueiras da região. A Bolívia passou a lucrar alto, mas a maioria dos produtores e habitantes locais eram brasileiros. E aí rolou a treta e a “invenção” do Acre brasileiro, capitaneada pelo gaúcho Plácido de Castro, tchê.

Em 1902, o militar comandou um grupo de 33 seringueiros armados e improvisou uma revolução para tomar a terra dos bolivianos, invadindo Xapuri – terra-natal de outro célebre acreano, o ativista ambiental e sindicalista Chico Mendes.

Passados pouco mais de cinco meses, estava fundado o Estado Independente do Acre, em janeiro de 1903 – foi só entre o fim deste ano e o início de 1904 que ele virou território nacional, com o Brasil pagando o equivalente a mais de R$ 800 milhões, em valores atuais, ao governo boliviano pela posse.

Depois disso, só promoção no status do “Extremo do Brasil”, oficializado como Estado da União em 1962 e reconhecido hoje em dia como terra-natal de Chico Mendes e de Bruno Alves – que se não fosse por Plácido, seriam célebres bolivianos.

Post anterior: Como Galileu escapou da Inquisição? Abriram uma exceção para ele?

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Jean Miranda

    eneas nasceu la

    Curtir