Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Posso colocar panela quente na geladeira?

Pode – o pior que pode acontecer é um ligeiro aumento na conta de luz. Agora vá convencer sua avó disso.

Por Oráculo Atualizado em 2 set 2019, 12h36 - Publicado em 29 out 2014, 15h03

Não só pode como deve. “Esperar a comida esfriar totalmente em cima do fogão pode ser um risco enorme para a saúde, principalmente em países tropicais como o nosso, onde as temperaturas ficam na faixa em que os micro-organismos se multiplicam com mais facilidade”, alerta a nutricionista Patricia Davidson.

Mas e a geladeira? Não sofre? Não. De acordo com a nutricionista Kesia Quintaes, da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), a única diferença é que em aparelhos mais antigos o gasto de energia elétrica aumenta sensivelmente. De acordo com a fabricante Cônsul, em refrigeradores mais novos, nem isso é um problema: “Os modelos atuais são mais econômicos e esse “esforço a mais” é tão mínimo que dificilmente vai impactar a sua conta de luz.”

  • Além disso, o vapor exalado pela panela altera a circulação do ar lá dentro. Como as moléculas mais quentes tendem a subir, o ar frio momentaneamente se concentra na parte mais baixa do aparelho. Mas isso é momentâneo – nem de longe representa uma ameaça para o resto dos alimentos que estão lá dentro.

    Quando falamos do tipo de panela que você usa para guardar o resto do almoço, ferro e o alumínio são contraindicados, seja dentro ou fora da geladeira. O motivo é que esses materiais transferem elementos da sua composição para a comida ao longo do tempo de estocagem, o que pode gerar uma contaminação. “Panelas ou recipientes de vidro ou titânio são os mais indicados para essa função”, afirma Kesia.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade