Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Cientistas descobrem que planta já conhecida é, na verdade, carnívora

A Triantha occidentalis, encontrada do Alasca ao sul da Califórnia, é conhecida há mais de um século. Mas escondia um segredo: ela captura e digere insetos

Por Luisa Costa 11 ago 2021, 18h56

A Triantha occidentalis é uma planta de caule verde escuro com flores brancas, encontrada ao longo da costa oeste da América do Norte, do Alasca ao sul da Califórnia. Conhecida há mais de um século, ela escondia um segredo dos humanos: seu comportamento de planta carnívora.

Também conhecida como “asfódelo falso ocidental” (western false asphodel), a planta apresenta pelos pegajosos em seu caule. Sempre se acreditou que eles fizessem parte de uma estratégia de defesa, grudando em insetos antes que eles pudessem atacar as folhas e flores da planta. Mas a história mudou quando o botânico Qianshi Lin, da Universidade da Columbia Britânica, no Canadá, se juntou a colegas para investigar melhor.

Os resultados de sua pesquisa foram publicados recentemente na revista Proceedings of National Academy of Sciences e mostraram que a planta captura e digere insetos pequenos – e até dois terços do nitrogênio de suas folhas vêm dessa fonte de alimento.

Para concluir isso, os cientistas precisaram mostrar que os nutrientes passam dos insetos para a planta. Lin e sua equipe alimentaram 150 moscas com nitrogênio-15, que poderia rastrear a possível transferência. Em seguida, eles deram as moscas para 25 asfódelos de um pântano localizado nas proximidades da Universidade, colocando os insetos nos caules das flores.

Depois de algumas semanas, os pesquisadores colheram as plantas e fizeram algumas análises. Eles descobriram que os nutrientes das moscas foram absorvidos e incorporados à planta – cerca de 64% do nitrogênio dos asfódelos tinha vindo dos insetos.

Continua após a publicidade

A equipe também percebeu que os pelos dos caules excretaram fosfatase, uma enzima essencial para a digestão de plantas carnívoras, que permite que elas extraiam fósforo do corpo de um inseto.

A Triantha pertence a uma família de plantas chamada Tofieldiaceae (que não tem outras carnívoras). Seus pelos pegajosos aparecem apenas no caule da flor e são de tamanho relativamente pequeno – características diferentes das outras plantas carnívoras conhecidas. 

As armadilhas para captura de insetos geralmente não se encontram perto da flor da planta, porque caçar insetos polinizadores pode ser contraproducente, como Lin explicou à revista National Geographic. Para contornar esse problema, os pelos e as secreções dos asfódelos parecem estar adaptados para só atingir presas pequenas – assim, a planta pode capturar mosquitos e pequenas moscas, mas não pega borboletas e abelhas acidentalmente.

  • As descobertas são surpreendentes, mas cientistas debatem se é realmente possível categorizar a Triantha occidentalis como uma planta carnívora, visto que – ao que parece – ela digere insetos mas não os atrai intencionalmente por meio de armadilhas com cheiros e cores específicos.

    O botânico Andreas Fleischmann, por exemplo, afirmou ao jornal The New York Times que os asfódelos podem representar uma estratégia evolutiva diferente: “Não desperdiçar os insetos que se mata defensivamente”.

    O estudo levanta uma série de questões e possibilidades de estudos sobre plantas carnívoras – ou secretamente carnívoras. “Este é um sinal de que existem mais plantas carnívoras à espera de serem encontradas”, afirma Lin.

    Continua após a publicidade
    Publicidade