Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Dinossauros pescoçudos se originaram no Brasil

Espécie mais antiga de sauropodomorfo (dino com pescoço longo) foi encontrada no Rio Grande do Sul

Por Ingrid Luisa Atualizado em 22 nov 2018, 15h22 - Publicado em 21 nov 2018, 18h23
Rodrigo Temp Müller / Biology Letters/Divulgação

Vários dinossauros tupiniquins já foram descobertos. O guia completo dos dinossauros do Brasil, de Luiz Eduardo Anelli, mostra 23 espécies de dinos identificadas até 2015. O Atlas Virtual da Pré-História (AVPH) relaciona 25. E esses números acabaram de aumentar: cientistas descobriram que o dinossauro de pescoço longo mais antigo do mundo é brasileiro.

E bota antigo nisso: o Macrocollum itaquii, nome dado à nova espécie, data de 225 milhões de anos atrás. Para você ter ideia, o período Triássico, quando surgiram os primeiros dinossauros, começou há 250 milhões de anos. Outras espécies encontradas no país existiram entre 120 e 65 milhões de anos atrás.

Mas não é só a idade que impressiona: essa é a primeira vez que se encontra esqueletos de dinossauros completos no Brasil. A nova espécie foi descrita a partir de três esqueletos fossilizados achados em Agudo, cidade do interior do Rio Grande do Sul, em 2013. Mas só agora o resultado das investigações foi publicado, no periódico britânico Biology Letters. Participaram da pesquisa o paleontólogo Rodrigo Temp Müller e o professor Sérgio Dias da Silva, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e o professor Max Cardoso Langer, da Universidade de São Paulo (USP).

  • Segundo os pesquisadores, O Macrocollum itaquii tinha cerca de 3,5 metros de comprimento — sendo 1 metro só de pescoço. Ele é um sauropodomorfo, grupo caracterizado pelo longo pescoço, postura quadrúpede e herbivoria. Seu tamanho pode parecer pequeno, comparando com os brontossauros (na verdade, apatosaurus) que chegavam a 30 metros de comprimento. Mas há uma razão: acredita-se que a nova espécie, por ser muito antiga, faz parte das primeiras espécies de dinossauros com o pescoço longo. E os cientistas afirmam que ele é o mais antigo entre todos já descobertos.

    Isso desencadeia várias conclusões: por ser herbívoro, o pescoço longo pode ter permitido que esses animais alcançassem a vegetação mais alta. Para os pesquisadores, essa capacidade foi uma das causas da sobrevivência dos sauropodomorfos durante a Era Mesozoica. E isso evoluiu: durante um intervalo de oito milhões de anos, a dieta herbívora foi aprimorada e os sauropodomorfos cresceram exponencialmente, com o pescoço se tornando, proporcionalmente, até duas vezes mais longo.

    Ser pescoçudo, aliás, foi o que originou o nome científico do animal: Macrocollum é uma junção de “makrôs”, que do grego significa “grande” e “collum”, que do latim é “pescoço”. Já itaquii é um homenagem: José Jerundino Machado Itaqui foi um dos principais responsáveis pela criação do Centro de Apoio a Pesquisa Paleontológica da Quarta Colônia (CAPPA/UFSM), lugar onde os fósseis ficarão guardados.

    Continua após a publicidade
    Publicidade