Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

É verdade que gestantes não podem comer peixe cru?

Não podem... em restaurante ruim. Há alimentos mais perigosos para a saúde da grávida e do bebê.

Por Alexandre Carvalho
Atualizado em 16 fev 2023, 13h55 - Publicado em 16 fev 2023, 13h38

Podem, sim. O peixe cru não transmite toxoplasmose, ligada à carne bovina e, principalmente, à de porco, quando mal cozidas. Essa doença, além de provocar aborto, está relacionada ao nascimento de bebês com alterações no tamanho do cérebro e sujeitos a crises de convulsão.

Os sintomas da toxoplasmose na mulher podem ser leves (semelhantes a uma gripe) ou nem aparecerem. Por isso, é importante que todas as gestantes realizem a pesquisa de anticorpos IgG e IgM na primeira consulta de pré-natal. A grávida que tiver somente anticorpos da classe IgG já foi infectada anteriormente e é considerada imune. 

Já as com os anticorpos IgM positivos podem ter tido uma infecção recente, o que exige mais exames para diagnosticar os riscos ao bebê.

O perigo ligado ao peixe cru é a gestante adquirir uma salmonelose, ligada a más condições de preservação do alimento. Essa doença bacteriana pode provocar desde um desarranjo intestinal, incluindo diarreia e vômitos, até desidratação e, nos casos extremos, morte. Mas você só vai ter qualquer tipo de problema se o peixe estiver pessimamente conservado. 

Continua após a publicidade

Ou seja, se estiver com desejo de um jantar japonês, a grávida deve escolher um restaurante de confiança, no qual o cuidado com o peixe é mais garantido. 

Mas é bom evitar…

Queijos artesanais que não passem pelo processo de pasteurização. Há doenças do gado que podem ser transmitidas para o ser humano. A listeriose, por exemplo, é uma infecção bacteriana que, numa gestação, pode estar por trás de abortos. Prefira queijos e laticínios sempre pasteurizados.

Café, só com moderação: duas xícaras por dia, no máximo. Mais do que isso, o café pode provocar taquicardia tanto na mãe quanto no feto. Vale evitar também o clássico cafezinho logo após o almoço, pois os fitatos presentes na bebida podem atrapalhar a absorção de nutrientes importantes na gestação, como o ferro e o cálcio.  

Continua após a publicidade

Bebida alcoólica, no primeiro trimestre da gestação, pode interferir na embriogênese, uma fase bem delicada. Depois desse intervalo, um pequeno brinde numa ocasião especial não é problema. Mas o consumo regular de bebida alcoólica pode trazer complicações para a placenta e o feto, de forma a comprometer inclusive o desenvolvimento do bebê.

Fontes: Dra. Catia Chuba, ginecologista e obstetra; Patrícia Santiago, médica pós-graduada em Nutrologia

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.