Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Oráculo

Por aquele cara de Delfos Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

O Brasil poderia ter adotado o dólar americano em 1994?

Até poderia, mas essa não seria uma boa opção a longo prazo

Por Da Redação Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
16 nov 2021, 19h14

Poder, até poderia. Os economistas chamam essa estratégia de “dolarização”. É uma saída para países pobres que não conseguem combater a inflação em moeda local. Equador, El Salvador, Panamá e Zimbábue usam o dólar oficialmente.

Em outros casos – como o Brasil, no início do Plano Real, e a Argentina, até 2002 –, um país pode atrelar artificialmente o câmbio da moeda local ao dólar, em geral na proporção de um para um. Assim, o país colhe a estabilidade da moeda americana temporariamente quando a economia está mal, mas continua tendo uma moeda própria para retomar o controle da política monetária quando necessário. Isso é essencial para uma nação de economia diversificada, com PIB grande e sistema financeiro próprio. O dólar é um remendo, não uma solução permanente viável.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.