Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Por que a bola de futebol americano não é redonda?

A história do quibe voador tem a ver com a primeira câmera de ar que esses orbes usaram: uma bexiga de porco.

Por Bruno Vaiano Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
29 abr 2024, 10h00

Em partes, pela tradição: esse é o formato aproximado de uma bexiga de porco inflada, o órgão que era usado originalmente como câmara de ar para as bolas. Esse balão fornecido pela mãe natureza era, então, forrado com couro de porco ou boi. Até hoje, por causa disso, essas bolas são chamadas informalmente de pigskin (“pele de porco”). 

A verdade é que uma bexiga urinária suína é mais parecida com uma coxinha do que com um quibe. Por isso, as primeiras bolas de rugby, futebol americano e outros esportes similares eram assimétricas, com uma extremidade arredondada e a outra mais pontuda. O caos não se limitava ao formato: as dimensões também variavam conforme o tamanho do porco que havia fornecido o órgão.

O principal motivo das bolas serem quibes até hoje é facilitar o manejo do orbe. Quando estão correndo, os jogadores o carregam  aninhado no antebraço e pressionado contra o corpo, algo que seria mais difícil se ele fosse redondo – principalmente porque a defesa do time adversário passa o jogo tentando arrancar o dito-cujo de você com o método milenar do tapão.

Na hora dos passes, o quarterback (o capitão do time e, geralmente, o primeiro a receber a bola na jogada) faz lançamentos de dezenas de metros, e a bola oval também é melhor para isso: é possível arremessá-la com o bico para frente, girando em torno do próprio eixo, um método bem mais preciso e aerodinâmico do que as redondas comuns permitem.

Continua após a publicidade

Chutar, claro, fica bem mais difícil, mas há poucas jogadas em que se usa os pés – e há membros em cada time treinados especialmente para as situações em que uma bica é necessária.

É justamente na seara dos chutes que o Brasil brilha na liga de futebol americano dos EUA, a NFL: Cairo Santos, um atleta de Limeira (SP), é chutador titular do time Chicago Bears. Ele atua profissionalmente no esporte desde 2014.

Pergunta de @diego.zanchetta, via Instagram.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.