Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Se o sexo das tartarugas depende da temperatura, como são os cromossomos?

Simples: elas não têm cromossomos sexuais.

Por Bruno Vaiano Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 10 dez 2020, 14h29 - Publicado em 10 dez 2020, 14h28

As tartarugas famosas graças ao Projeto Tamar – como a tartaruga-oliva, a tartaruga-de-couro e a tartaruga-cabeçuda – não têm cromossomos sexuais. Simples assim.

A diferenciação entre os sexos ocorre no segundo terço do período de incubação dos ovos. Entre as tartarugas, as temperaturas mais altas geram fêmeas; as mais baixas, machos.

Com o ninho a 29°C, nascem bebês dos dois sexos. Percorrendo a escala de 29 °C até 33 °C, a proporção de fêmeas aumenta gradualmente até atingir 100%. Descendo de 29°C para 24 °C, nascem cada vez mais machos.

Outros répteis seguem um padrão diferente: temperaturas intermediárias geram machos, e ovos muito frios ou muito quentes se tornam fêmeas.

Continua após a publicidade

Por fim, há espécies que estão em uma situação evolutiva intermediária: até possuem cromossomos X e Y – ou as variantes W e Z, em que ZZ é o macho e ZW é a fêmea –, mas o genoma não dá a palavra final. Um embrião com cromossomos para um sexo pode desenvolver características do sexo oposto quando exposto à temperatura certa.

Pergunta de @oliveiramarilaine, via Instagram.

Fontes: Luciana Medeiros Silva, bióloga do Projeto Tamar, “Sex chromosomes and sex determination in reptiles”, artigo de William S. Modi e David Crews.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.