GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

As 15 perguntas (e respostas) mais pungentes sobre pênis

Por dentro da herança (e da maior encanação) masculina

1. Quão micro é um micropênis?

Os médicos consideram micro os que medem menos de 7 centímetros quando eretos. Essa disfunção está ligada à falta de testosterona no estágio uterino e afeta apenas 0,6% da população. O maior já medido é o do ator americano Jonah Falcon: 34 centímetros, comprovados diante das câmeras de um documentário para a TV. E ele nunca fez um filme pornô porque “quer ser levado à sério”.

2. Tamanho é documento?

Pode ser. Os grandalhões podem ter, sim, mais apelo visual e sensorial, mas correm o risco de machucar o colo do útero. Os muito pequenos podem escapar durante o sexo. Na média, a vagina se adapta.

3. Dá mesmo para aumentar o tamanho do pênis?

A cirurgia de alongamento peniano com finalidade cosmética em pênis normais existe em caráter experimental, para casos selecionados e com realização permitida apenas em centros médicos de pesquisa, de acordo com normas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Saúde e pelo Conselho Federal de Medicina. E o paciente corre o risco de sofrer complicações por danos às estruturas, levando a impotência, perda de sensibilidade ou retração causada pela cicatrização, que diminui ainda mais o tamanho. Depois da cirurgia, o pênis perde sua angulação natural e, quando ereto, aponta para baixo. Como se não bastasse, ele pode ganhar um aspecto Shrek: inchado, com nódulos e partes retraídas. “Para o aumento da circunferência, tenta-se o implante de silicone líquido, gordura do próprio paciente e enxertos de derme. Na maioria dos casos, os resultados são temporários e o aspecto realmente pode ser pior”, alerta o urologista e sexólogo Celso Marzano. Bombas de vácuo, exercícios, massagens e aparelhos esticadores não têm a aceitação dos urologistas e os milagres a eles atribuídos não são comprovados cientificamente.

4. O tamanho do pênis tem a ver com o do pé, do nariz ou da mão?

A maioria dos médicos é categórica: não. E faltam estudos consistentes nessa área. Um pesquisador sul-coreano publicou um estudo no Asian Journal of Andrology afirmando ter encontrado uma relação entre o tamanho dos dedos da mão direita e o do pênis depois de estudar 144 homens. Quanto menor o indicador em relação ao anelar, maior seria o órgão. Segundo Tae Beom Kim, do departamento de urologia da Universidade Gachon, a testosterona pré-natal influenciaria tanto o crescimento do pênis quanto o dos dedos – e os da mão direita seriam misteriosamente mais sensíveis a ela.

 

5. Quanto tempo um homem precisa entre a primeira e a segunda ereção, de acordo com a idade?

Esse tempo, chamado de resolução, varia inclusive entre aqueles da mesma faixa etária. Depende do estado emocional, do condicionamento físico e do estímulo. Geralmente, depois da ejaculação, essa pausa é maior de acordo com a idade.

20 anos 2 a 5 minutos
30 anos 15 a 30 minutos
40 anos até 4 horas
50 anos até 12 horas
60 anos até 1 dia

6. Quanto tempo pode durar uma ereção?

Pelo tempo que durar a excitação. É ela que estimula a resposta química no cérebro, para aumentar a irrigação sanguínea, e nos corpos cavernosos, que retêm o sangue, deixando o pênis ereto. A ereção acaba depois da ejaculação. Quando persiste por horas é definida como priapismo e requer cuidados médicos imediatos.

7. Por que homens têm ereções matinais?

“É um reflexo causado quando a bexiga está cheia porque ela estimula nervos e músculos locais que produzem a ereção”, diz Celso Marzano, urologista e sexólogo, professor da Faculdade de Medicina do ABC e autor do livro O Prazer Secreto. Se a vontade de fazer xixi não for muito grande, pode provocar sensações de prazer e desejo. É diferente da ereção noturna, que praticamente todos os homens têm. Essa, sim, é ligada aos sonhos e à consequente excitação. “Todos os homens que não apresentam nenhum tipo de disfunção erétil têm cerca de 3 a 5 ereções por noite, durante a fase REM do sono (Rapid Eyes Moviment, ou Movimento Rápido dos Olhos), que podem durar de 5 a 15 minutos”, afirma o urologista. É comum o despertar nessa fase.

8. Existe musculação peniana?

Pênis não é músculo e não cresce com exercícios. Existem técnicas de fortalecimento do músculo próximo, chamado pubococcígeo (PC, para os íntimos), que vai do osso púbico ao cóccix. Exatamente como nas mulheres. É o pompoarismo masculino.

 


9. Dá para prevenir a impotência?

Sim e não. Se você considerar que grande parte dos casos acontece em decorrência de doenças como diabetes e pressão alta, de tabagismo, excesso de álcool, uso de drogas e de medicamentos, dá para evitar. Estresse e ansiedade também dificultam a ereção. Se a causa for especificamente ligada à disfunção erétil, como idade avançada e queda na produção de óxido nítrico, que atua como vasodilatador durante o mecanismo, não tem prevenção.

10. Ejaculação precoce tem cura?

Sim. E boa parte da solução está na cabeça: é o psicológico que conta. “Todo ejaculador precoce é um ansioso, então costuma-se prescrever um ansiolítico como complemento do tratamento”, diz o urologista Wagner Ávila. “Às vezes, só de saber que tem o remédio no bolso, o paciente melhora.” O estresse é outro vilão, porque o sujeito vai acumulando tensão e, quando tem a oportunidade de descarregar, não aguenta segurar. É comum também sair do consultório com a recomendação de posições sexuais adequadas, como aquelas em que o parceiro fica por cima e para quando percebe algum sintoma de pressa.

 

11. O que é o líquido que sai do pênis antes da ejaculação?

É um fluido secretado pelas glândulas de Cowper, localizadas abaixo da próstata. Ele tem a função de neutralizar a acidez da urina e lubrificar a glande e a vagina, além de evitar que os espermatozoides morram secos no canal do pênis.

12. Quantas calorias tem o sêmen?

Uma colher de chá, que é a quantidade média por ejaculação, contém 20 calorias – menos do que um Alpino. O sêmen contém apenas 10% de esperma, o resto é composto por vitamina C, enzimas, cálcio, potássio, zinco, ácido cítrico, frutose e açúcar. O nível de pH vai de 7,05 a 7,8.

 

13. Quantos espermatozoides são liberados em uma ejaculação?

Normalmente, de 100 a 300 milhões, mas poucos sobrevivem à toxicidade do sêmen e ao ambiente hostil da vagina para se aproximar do óvulo: em média, só 400.

14. Quanto tempo os espermatozoides vivem fora dos testículos?

De segundos a minutos, quando estão em contato com o ar ou a água. Dentro da vagina, eles podem viver felizes por até 72 horas.

 

15. É normal sentir dor nos testículos depois da transa?

Sim, se a ereção for prolongada, consequência da contração contínua dos músculos ligados a toda a região peniana e escrotal. Também pode ser fruto de trauma local.

 

O seu é maior

Uma pesquisa apresentada em um congresso da Sociedade Brasileira de Urologia mostrou que a média do pênis do brasileiro fica entre 12,5 e 14,5 centímetros. Veja a prevalência de cada tamanho.

7 cm: maior do que o de 0,6% dos brasileiros
10,5 cm: maior do que o de 2,5 % dos brasileiros
12 cm: maior do que o de 5% dos brasileiros
12,5 cm: maior do que o de 10% dos brasileiros
13,5 cm: maior do que o de 25% dos brasileiros
14,5 cm: maior do que o de 50% dos brasileiros
15,5 cm: maior do que o de 75% dos brasileiros
16,5 cm: maior do que o de 90% dos brasileiros
17,5 cm: maior do que o de 97,5% dos brasileiros

 

Bombado, não. Saudável
Indicado para tratar a ejaculação precoce e incontinência urinária, o pompoarismo masculino deve ser prescrito pelo médico

1. Interromper o fluxo da urina é uma forma de contrair e relaxar o PC.
2. Também dá para contraí-lo várias vezes voluntariamente, sentado ou em pé. No começo, é comum mexer o bumbum, as coxas e a barriga em vez do PC. Com a prática, é possível focar só ele.
3. Outro exercício que ajuda a controlar a ejaculação precoce é prender o esfíncter anal por alguns segundos e depois relaxar.