GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Narcotráfico dá pouco dinheiro

Despesas com mão-de-obra, armas e matéria-prima estragam o lucro dos traficantes cariocas

Os chefes do narcotráfico sempre são retratados como barões poderosos e riquíssimos. Mas na prática a coisa não é bem assim. Um estudo feito pela Secretaria da Fazenda do Rio de Janeiro calculou em detalhes, pela primeira vez, a contabilidade do tráfico carioca. E chegou a uma conclusão surpreendente: mesmo impondo preços, tendo clientes cativos e empregando um exército de 16 mil funcionários, o equivalente a uma montadora de automóveis, a indústria do tráfico alcança um resultado modesto – lucra R$ 26 milhões anuais, o mesmo que uma rede de lojas de pneus.

 

Até a última ponta
O balanço anual da indústria de tráfico de drogas no Rio

1. Compra da droga
O estudo cruza informações da ONU, do governo e da Polícia Federal para calcular quanto a droga custa no atacado, quantas pessoas usam e quanto consomem. Com isso, tem-se o investimento inicial dos traficantes.
Despesa com compra – R$ 96,94 milhões/ano

2. Mão-de-obra
A indústria do tráfico emprega muita gente – sua folha de pagamento é gigantesca, comparável à de grandes empresas.

Pão de Açúcar – 70 656

AmBev – 35 000

Google* – 19 156

Embraer – 17 375

Tráfico RJ – 16 388

Lojas Renner – 9 647

* No mundo inteiro
Despesa com pessoal – R$ 158,73 milhões/ano

3. Armas
Quando a polícia apreende armas dos traficantes, eles têm de repor o que foi perdido. Assim, é possível calcular quanto gastam anualmente para manter seu arsenal (sem contar despesas com munição e eventuais upgrades nos equipamentos).
Despesa com armamento – R$ 24,78 milhões/ano

4. Apreensão
10% de toda a droga traficada no Rio acaba sendo apreendida pela polícia antes da venda. Ela tem de ser reposta, o que gera um custo para os traficantes. (Também há a propina paga aos policiais, que é impossível de estimar – e por isso não consta do estudo.)
Despesa com apreensão – R$ 9,69 milhões/ano

5. Venda
Os traficantes revendem seus produtos cobrando até 400% a mais do que pagaram. Por isso, seu faturamento é alto – equivalente ao de um grande laboratório farmacêutico.
Faturamento – R$ 316,68 milhões/ano

6. Resultado
Sobram apenas R$ 26 milhões. A rentabilidade é de 8,38% do faturamento, um desempenho modesto (os traficantes ganhariam mais deixando o dinheiro no banco). Mas o pior é que o dinheiro ainda tem de ser repartido entre as várias “empresas” do setor (Comando Vermelho, Terceiro Comando, ADA etc.) e as 630 favelas onde atuam.

 

 

Faturamento

Projetos especiais
Diversificação é a aposta dos bandidos.

A indústria do tráfico não é só droga. Os traficantes aproveitam seu poder para controlar operações como a distribuição de gás e a instalação de pontos clandestinos de TV a cabo em favelas. Ninguém sabe ao certo o faturamento desses negócios.

Projetos especiais
Diversificação é a aposta dos bandidos.

A indústria do tráfico não é só droga. Os traficantes aproveitam seu poder para controlar operações como a distribuição de gás e a instalação de pontos clandestinos de TV a cabo em favelas. Ninguém sabe ao certo o faturamento desses negócios.

Faturamento – R$ 316,68, milhões/ano

Custo total – R$ 290,14 milhões/ano

Lucro – R$ 26,54 milhões

Lucro sobre o faturamento (em %)

Pão de Açúcar – 4,2%

AmBev – 14,4%

Google – 44,6%

Embraer – 10,2%

Tráfico RJ – 8,38%

Lojas Renner – 22,3%