GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Silicone de boca e detonador

Aliado da beleza, parceiro da tecnologia e amigo da cultura. Tudo no potinho do cintilante e perolado Dream. Só um problema: um ingrediente capaz de fazer tudo ir pelos ares

Suzanna Ferreira

O silicone de boca – Polimetilmetacrilato (PMMA)
Um plástico que transforma qualquer mulher em Angelina Jolie – é usado em clínicas de estética para preenchimento labial (ou seja, para dar uma inflada nos lábios). Dentistas também usam o PMMA para fazer dentes provisórios. No esmalte, serve como liga: garante que os outros ingredientes se misturem. Por causa dele, o esmalte não escorre na unha.

A bateria – Esteralcônio de hectorita
Bateria de celular e laptops. Ou melhor: um minério de onde é tirado o lítio, que dá energia a essas baterias. Triturado, o esteralcônio é usado em forma de pó no esmalte, e assim vira uma espécie de cola para essa fórmula. Em contato com a temperatura da mão (que geralmente chega a 35 graus), ele provoca a evaporação dos solventes usados na fórmula (como acetona). Sinsalabim, a mágica está feita: o esmalte se fixa nas unhas.

O queima-filme – Nitrocelulose
Chame de algodão- pólvora. Esse é o apelido da nitrocelulose, sintetizada da celulose. Parece um pedaço de algodão e explode fácil. Por isso, deixou de ser usada nos filmes rodados em película, nos anos 50. Hoje serve de detonador de explosivos. E trabalha no esmalte para transformar a mistura em um filme plástico e maleável, que cobre as unhas. (Sem explodir: outros ingredientes neutralizam o explosivo.)

O chinelo – Copolímero de etileno
Tem chinelo de dedo em casa? É provável que ele seja feito deste plástico aqui. Nos chinelos, o copolímero de etileno costuma aparecer para enrijecer o solado. É uma boa estratégia: o copolímero é mais barato e leve do que a borracha natural. Nas unhas, é ele quem garante que o filme criado pelo esmalte não vai sair despedaçando por aí. Graças a essa resistência que o copolímero dà à mistura, o esmalte geralmente sai da unha em grandes lascas.

O preservativo – Poliuretano
Alergia a látex? Chama o poliuretano! O plástico substitui o látex em produtos como preservativos especiais para alérgicos. É encontrado ainda em colchões e sofás, como matéria-prima da espuma, por ser barato. Tem grande missão no esmalte: integrar os pigmentos ao resto da fórmula. Por serem insolúveis, os pigmentos decantariam sem o poliuretano, indo para o fundo do potinho.

Fontes Vânia R. Leite e Silva, professora de cosmetologia da Unifesp e diretora da Associação Brasileira de Cosmetologia; Fernanda Garcia Peralta; cosmetologa especialista em esmaltes; Vera Issac, farmacêutica e professora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp; Juarez Souza de Oliveira, professor de engenharia química e tecnologia orgânica da UFPR; André Luis Bacelar, professor de química orgânica da UFS; Wagner Polito, professor do Instituto de Quimica da USP São Carlos.