GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Esboço de Leonardo da Vinci pode ser a Mona Lisa nua

Desenho com carvão guardado desde 1862 na França pode ser um esboço, feito por Leonardo da Vinci, de uma das pinturas mais famosas da história da arte

Especialistas do Museu do Louvre, em Paris, estão analisando um desenho feito com carvão que está guardado desde 1862 em um acervo de arte renascentista no palácio de Chantilly, 20 quilômetros ao norte da capital francesa. Segundo eles, é bem provável que a obra – uma mulher nua da cintura para cima, com traços bem próximos aos da Mona Lisa – seja um esboço do retrato mais célebre da história.

Ao longo dos últimos 150 anos foi quase consenso entre os críticos que o desenho – intitulado Monna Vanna – era de autoria de um dos pupilos do mestre italiano, que estudava em seu estúdio. Mas há bons motivos para acreditar que aqueles traços, na verdade, sejam de Leonardo da Vinci.  

“Nós sabemos que o desenho foi feito em um período em que da Vinci estava vivo [1452 – 1519], que o papel foi produzido na Itália, entre Veneza e Florença, e que o desenho é de qualidade muito alta no rosto e nos braços”, explicou Mathieu Deldicque, curador do Louvre, à Reuters. “Os braços são iguais aos da Mona Lisa”, completa.

 (Leonardo da Vinci/Wikimedia Commons)

Ao The Guardian, Deldicque também revelou que o desenho tem buracos nos cantos, provavelmente usados para fixar o rascunho na tela e usá-lo como referência para a pintura. O mais difícil, agora, é provar que o esboço é de 1503 – ano em que da Vinci provavelmente começou a pintar a Gioconda.

Há no mínimo um mês de análises técnicas e consultas a especialistas pela frente, e só então o Louvre poderá bater o martelo – ou não. Se não houver indícios suficientes para atribuir a obra ao italiano, ficaremos só na especulação.

A morte de Leonardo da Vinci fará 500 anos em 2019, e não serão poucas as exposições organizadas em sua homenagem. Deldicque pediu uma dose de expectativa saudável com a possibilidade do rascunho ser autêntico – e estar pronto para a apreciação do público no período comemorativo.