GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Música: Ambient house

Com a invenção das áreas de chill-out estava estabelecido que balada não era só pra dançar. O termo ambient house vingou entre 89 e 92 e era usado para definir a união de dois universos aparentemente opostos: o descanso e a balada. O gênero associava a energia das pistas a sons meditativos: sons de gaivotas, chuás de sintetizador, saxofones e vocais sussurrados…

INNOCENCE _NATURAL THING (1990 – CHRYSALIS)

Um espertíssimo sample de “Shine On You Crazy Diamond”, do Pink Floyd, dá o clima desse épico do sossego dançante. O Innocence era um grupo folk-pop-soul que até teve hits no começo dos anos 90, mas depois sumiu sem deixar rastro.

808 STATE_PACIFIC STATE (1989 – ZTT)

Com forte referência do DJ e produtor de Detroit Derrick May, este single mostrou que tecno inglês era coisa séria, sim, senhor. O 808 virou ícone da história da eletrônica. Graças ao saxofone viajante e aos sons de gaivotas, esta faixa se encaixou como uma luva no esquema da ambient house.

SUENO LATINO_SUENO LATINO (1989 – DFC)

Mais uma espertíssima jogada italiana. Esses aqui pegaram a eletrônica cult do alemão Manoel Gottsching em “E2-E4”, meteram um chassis grooveado por baixo e o caloroso vocal de Carolina Damas falando coisas como “Amore… Te quiero” na cobertura. Delicioso. Remixado anos depois por Derrick May, Bushwacka! e Recycled Loops.

THE ORB_LITTLE FLUFFY CLOUDS (1991 – BIG LIFE)

Apesar da ênfase nas camas de sintetizadores, a mágica da ambient house estava também muito apoiada num sample bem escolhido. Aqui, os pais da matéria emprestam uma fala da cantora Rickie Lee Jones sobre memórias de infância e “nuvens fofinhas”.

GRID_FLOTATION (1990 – EAST WEST)

O Grid era formado por Dave Ball, do Soft Cell, e Richard Norris, que havia participado do insano projeto Jack The Tab. A música tem flautinha e uma vocalista que parece cantar deitada numa cama. O lançamento original inclui um remix de Andrew Weatherall.

A pedido de VOLUME01, o DJ e jornalista Camilo Rocha espanou a poeira de sua discoteca para explicar o gênero conhecido como ambient house. Camilo selecionou as cinco pedras fundamentais do estilo.