Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Até hoje, Darwin dá cadeia

Professor Farouk Mohamed Ibrahim, da Universidade de Cartum, a capital sudanesa, foi preso por ousar dar aulas sobre evolucionismo, o que é proibido por ofender o Corão.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h32 - Publicado em 31 Maio 1990, 22h00

A força do atraso às vezes parece imbatível. Nos anos 20, nos Estados Unidos, um professor foi parar no tribunal por ensinar a teoria da evolução, concebida mais ele meio século antes pelo naturalista inglês Charles Darwin. Recentemente, um biólogo foi preso pelo mesmo motivo no Sudão, o maior país africano. O professor Farouk Mohamed Ibrahim, da Universidade de Cartum, a capital sudanesa, acabou atrás das grades, onde ainda por cima sofreu torturas, porque ousou dar aulas sobre a idéia de que o homem e o macaco têm o mesmo ancestral. O evolucionismo, disseram-lhe, ofende o Corão, o livro sagrado dos muçulmanos. O islamismo é a religião dominante no país.

Publicidade