Clique e assine a partir de 8,90/mês

Como surgiu a seda artificial

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h14 - Publicado em 30 set 1996, 22h00

Seda no chão

Hilaire Chardonnet (1839-1924) era um estudante de Química em Paris quando, em 1865, auxiliou ninguém menos do que Louis Pasteur em um estudo sobre as doenças do bicho-da-seda. Na época, Chardonnet comentou que seria ótimo se a seda pudesse ser substituída por um tecido artificial. “Se isso fosse fácil, meu caro, não estaríamos perdendo tanto tempo com a saúde desses bichinhos”, respondeu Pasteur. O rapaz teria esquecido o assunto se, treze anos depois, enquanto revelava filmes em uma sala escura, não tivesse derrubado no chão um vidro com colódio, ingrediente de lacas e vernizes. Não quis interromper a tarefa na hora e quando foi limpar a sujeira o líquido já tinha evaporado. No lugar dele ficaram uns fios sedosos. A partir do acidente, Chardonnet passou seis anos desenvolvendo a seda artificial, que mais tarde chamaria raiom. Só em outubro de 1891, porém, é que convenceu as indústrias afazer roupas com o tecido sintético.

Publicidade