Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Como funcionam os sites de pagamento online?

Por Marcel Nadale Atualizado em 4 jul 2018, 20h27 - Publicado em 18 jun 2010, 18h53

Sites como o PayPal, o Google Checkout e o brasileiro PagSeguro atuam como “intermediários” nas transações online. Em vez de você transferir o valor (e seus dados financeiros) diretamente para um vendedor, você os passa a essas empresas,que preservam a informação e oferecem seguros caso uma das partes não cumpra o combinado. “As transações na internet ainda deixam pessoas desconfiadas porque não há a relação concreta com o vendedor ou o produto”, explica Ricardo Dortas, diretor do PagSeguro. “Essa hesitação é maior quando o vendedor não é um grande varejista, sério e reconhecido, mas uma pessoa que quer apenas passar adiante um bem usado, por exemplo.” O PayPal, o mais famoso desses serviços, está disponível em 190 países e aceita transações em 23 moedas, incluindo o real.

Leva e traz

Sites recebem pagamento do comprador e repassam ao vendedor, protegendo os dados

1. Em um bate-papo na web, João, de São Paulo, conhece Sérgio, da Paraíba, que está disposto a vender a edição nº 1 da MUNDO ESTRANHO. É exatamente a que falta para a coleção de João!

2. Como os dois não se conhecem e estão com dúvidas quanto ao negócio, decidem fazer tudo por meio de um site de pagamento online. Ambos se cadastram – é preciso ser maior de 18 anos, ter e-mail e conta bancária ou cartão de crédito

Continua após a publicidade

3. Pelo próprio site, João autoriza o pagamento. A empresa alerta Sérgio para que envie seu produto (a revista) para o freguês

4. Se, depois de um prazo específico (em geral, 15 dias), João não fizer nenhuma reclamação, é sinal de que está satisfeito com o que recebeu. Em contato direto com as principais instituições financeiras, a empresa autoriza a transferência da grana da conta de João para a de Sérgio

5. Por esse serviço de intermediação, a empresa cobra uma taxa em cima do valor a ser recebido pelo vendedor. A taxa varia de acordo com as diferentes empresas, mas costuma ser de 2 a 10% do valor do produto. O comprador não paga taxa nenhuma

6. Sérgio tem várias opções para a grana que recebeu. Ele pode optar pelo crédito direto na conta bancária ou pode usá-lo para realizar alguma compra com outro comerciante online, reiniciando o ciclo comercial

7. Em alguns serviços, você pode manter o dinheiro no próprio site, para usar depois – mas não há juros nem rendimentos. A vantagem é que, em alguns casos, a taxa só é cobrada quando o valor sai do site e cai na conta bancária do vendedor

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 12,90/mês