Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Fiéis mensageiros, hormônios

Discretos e pontuais, eles levam os recados bioquímicos do cérebro para os diferentes órgãos. São os hormônios, produzidos em minilaboratórios espalhados pelo corpo - as glândulas.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h37 - Publicado em 31 ago 1998, 22h00

Lívia Lisbôa

Todo o seu organismo sente quando algum deles deixa de trabalhar direito. Por meio dos hormônios – substâncias secretadas pelas glândulas que agem como mensageiros bioquímicos – os seus órgãos modificam o funcionamento. Quando você dá um bocejo, é porque existe uma glândula, a pineal, dando o sinal de que está na hora de dormir. Como um relógio, ela regula os ritmos do seu organismo. Na hora de acordar, entra em cena outra glândula, a supra-renal, localizada um pouco acima dos rins. Graças ao cortisol, um hormônio que a supra-renal secreta na corrente sangüínea, você sente disposição para iniciar as atividades depois de uma noite de sono. Aliás, a palavra “hormônio” vem de “acordar”, em grego.

No comando desse sofisticado laboratório interno está a hipófise, também conhecida como pituitária. Não por acaso, ela merece o honroso título de glândula-mestra. É a hipófise que analisa as necessidades do organismo e, como um computador central, coordena produção de hormônios pelas glândulas. Secretados em doses ínfimas, de milionésimos de grama, os hormônios ligam-se apenas às células que precisam deles. Uma vez cumprida a tarefa, a produção é suspensa. “É um liga-e-desliga que funciona como um mecanismo auto-regulador”, explica o endocrinologista Filippo Pedrinola, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

 

Quem sabe é super

A Medicina já identificou mais de 100 hormônios, mas sabe que deve haver vários outros ainda por descobrir. Somente o hipotálamo e a hipófise produzem juntas pelo menos 16 hormônios dos mais variados tipos.

 

 

Uma equipe de especialistas

Veja quais são as principais glândulas e como elas influenciam o funcionamento do corpo.

 

PONTUALIDADE BRITÂNICA

A glândula pineal produz um hormônio chamado melatonina. É ele quem avisa ao corpo se é dia ou noite.

 

A CASA DO FERMENTO

A tireóide produz dois hormônios principais – a tiroxina e a triiodotironina. Eles são responsáveis pelo metabolismo, regulando o aproveitamento das gorduras pelas células. O desenvolvimento físico das crianças nos primeiros anos de vida e, principalmente, a maturação do cérebro dependem desses hormônios.

 

NA MEDIDA CERTA

Quando é preciso controlar o nível de cálcio no sangue, entra em ação o hormônio paratireoideano, produzido nas paratireóides, que ficam atrás da tireóide.

Continua após a publicidade

 

PROIBIDO PARA MAIORES

O timo pára de funcionar na puberdade. Até essa fase, ele produz a timosina, que promove o desenvolvimento de anticorpos.

 

DOCES COMANDOS

Quem diz ao fígado se a glicose deve ser armazenada em forma de glicogênio ou ser liberada no sangue para alimentar o cérebro e os músculos são as células das ilhotas de Langerhans, no pâncreas. Seus mensageiros são dois hormônios, a insulina e o glucagon.

 

CORPO DE MULHER

Quadris largos, seios desenvolvidos, ovulação e menstruação. Os responsáveis pela transformação da menina em mulher são os ovários. A partir da ordem que recebem da hipófise, eles produzem o estrógeno e a progesterona.

 

 

LOJA DE CONVENIÊNCIAS

As supra-renais são um verdadeiro supermercado de substâncias. As camadas externas fabricam os hormônios que equilibram o nível de sal e de água nos rins (os mineralocorticóides) e os que regulam o metabolismo de alimentos (os glucocorticóides). Também produzem os andrógenos que, junto com os hormônios sexuais, determinam o aparecimento de pêlos púbicos e axilares. Já a parte de dentro produz dois hormônios que preparam o organismo para reagir a uma situação de perigo ou de emoção forte: a adrenalina e a noradrenalina, que aceleram os batimentos cardíacos, aumentam a dosagem de açúcar no sangue e elevam a pressão arterial.

 

Homem com H

Produzir testosterona é a função dos testículos, responsáveis pelo crescimento dos pêlos e pelo amadurecimento dos genitais.

 

O maestro dos hormônios

O título de glândula-mestra dá a medida da importância da hipófise. Ela distribui mensagens bioquímicas pelas demais glândulas com base nas ordens que recebe do hipotálamo, parte do cérebro que também controla a fome e o sono. Para isso, a hipófise secreta hormônios que atuam sobre o organismo indiretamente. É o caso do hormônio estimulador da tireóide. Mas ela também age diretamente, por meio do hormônio de crescimento e da prolactina (que estimula as glândulas mamárias), entre outras substâncias.

Continua após a publicidade
Publicidade