Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Leite materno oferece um exército de defesa

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h33 - Publicado em 31 Maio 1998, 22h00

Por que o estômago do bebê não destrói os anticorpos que estão no leite materno?

Boa pergunta. A acidez do estômago mata todos os anticorpos que caem lá. Mas o estômago dos bebês é bem menos ácido. Assim, uma parte dos anticorpos que ele bebe junto com o leite materno consegue sobreviver e passar para a corrente sangüínea. No leite da mamãe há vários outras substâncias que são importantes para as defesas do organismo do bebê. “Por exemplo, a lactoferrina e a lisosima, duas proteínas que atrapalham o crescimento de microrganismos como vírus e bactérias”, explica o pediatra Luiz Belizia, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Mas o papel mais importante fica por conta dos linfócitos, um tipo de glóbulo branco, que são como professores: eles ensinam o intestino do bebê a se defender sozinho (veja infográfico ao lado).

Ataque em várias frentes

No leite materno há anticorpos e células “professoras”.

Pelo leite, chegam ao estômago os anticorpos, os linfócitos (glóbulos brancos) e as proteínas que não deixam os vírus se desenvolver.

O papel dos linfócitos é ensinar os glóbulos do intestino do bebê a atuar em sua defesa própria.

Continua após a publicidade
Publicidade