GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Menos colesterol no Chocolate

Um estudo francês indica que o chocolate, que sempre esteve entre os alimentos contra-indicados para quem se preocupa com a boa saúde das artérias, contém no máximo 10 miligramas de colesterol e não 70, como se acreditava.

Por causa do leite que entra na sua fabricação, o chocolate sempre esteve entre os alimentos contra-indicados para quem se preocupa com a boa saúde das artérias: as tabelas dos nutricionistas acusavam que cada 100 gramas de chocolate continham 70 miligramas de colesterol – a substância oriunda basicamente da gordura animal que se deposita nos vasos sangüíneos e por isso pode acarretar graves problemas cardíacos. Um estudo francês, porém, indica que o chocolate talvez tenha sido injustamente culpado. O erro consistiria em não terem sido levadas em conta determinadas reações químicas na digestão que modificam a gordura vegetal existente na manteiga de cacau, a base do chocolate.

Tais reações transformam o ácido esteárico saturado do cacau em ácido oléiço poliinsaturado, o mesmo responsável pelas propriedades medicinais do azeite de oliva, que os cientistas descobriram há alguns anos. Os ácidos oléicos aumentam no colesterol total do organismo a proporção de HDL (lipoproteínas de alta densidade). Trata-se do chamado bom colesterol, que ajuda a remover as obstruções causadas pelo LDL (lipoproteínas de baixa densidade), o temível mau colesterol. Assim, com os benefícios indiretos da gordura de cacau compensando os malefícios do leite, 100 gramas de chocolate conteriam no máximo 10 miligramas de colesterol e não 70 – um resultado que talvez mereça ser comemorado com uma caixa de bombons.