GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Carta de motorista à prova de suborno

Você talvez conheça alguém que ofereceu `uma cervejinha' para passar no exame e obter a carta de motorista. Na Índia também era assim. Até que um exame high-tech mudou tudo

Vanessa Vieira e Bruno Garattoni

A Índia está empatada com o Brasil no ranking de corrupção da ONG Transparência Internacional. Mas os indianos estão se esforçando para melhorar: criaram o primeiro teste de direção completamente eletrônico. A novidade foi implantada em Bangalore, terceira maior cidade da Índia, e funciona da seguinte maneira. Para tirar ou renovar carteira de habilitação, é preciso fazer uma prova em um circuito especial, dotado de sensores. O motorista tem de cumprir tarefas como dirigir sobre uma figura em forma de 8, fazer baliza, controlar o carro em uma ladeira e manobrar em marcha à ré, em um teste que dura em média 6 minutos. Mais ou menos como no Brasil. A diferença é que não há um inspetor dentro do carro. Todas as manobras são registradas a distância pelos sensores, que avisam no ato – por meio de alertas sonoros – se o candidato cometer algum erro. No final do teste, um computador calcula a pontuação e diz se a pessoa passou ou não. O exame também é filmado, para que o motorista possa ver o que fez. “Não existe a possibilidade de suborno, porque o examinador é uma máquina”, disse Gangadhar Acharya, inspetor de veículos de Bangalore, a um canal de TV local. Sem carteiradas.