Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Qual é a diferença entre buraco negro e buraco de minhoca?

De maneira muito grosseira: um é um buraco com fundo. O outro é um túnel (completamente hipotético) para outro lugar.

Por Bruno Vaiano Atualizado em 21 abr 2020, 11h51 - Publicado em 20 abr 2020, 12h36

Buraco negro é um objeto cósmico cuja atração gravitacional é tão intensa que nada que penetra em seu perímetro – nem a luz – pode escapar. Isso acontece porque, no centro dele, há uma singularidade. Singularidade é algo com uma massa várias vezes maior que a do Sol compactada em um ponto minúsculo.

As equações da Relatividade Geral de Einstein revelam que esse ponto é infinitamente pequeno – sequer tem dimensões. Por ser algo sem largura, altura ou comprimento, sua densidade seria também infinita. A maior parte dos físicos concorda, porém, que isso é um bug nas equações, e que precisamos de uma teoria quântica da gravidade para alcançar uma compreensão mais razoável do que acontece lá dentro. Você pode entender detalhadamente as dúvidas que persistem sobre a astrofísica dos buracos negros na nosso mini documentário, que está aqui

Coisas que caem no buraco negro são destroçadas e incorporadas à singularidade. Dali elas não passam. É um buraco com fundo, como um poço.

  • Já um buraco de minhoca é um atalho puramente hipotético entre dois pontos distantes do cosmos. Ou seja, é um túnel, e não um poço. Um buraco negro poderia funcionar como a entrada de um buraco de minhoca. O desafio teórico é arrumar uma forma de atravessá-lo sem parar na singularidade.

    Vale dizer que buracos negros são reais – o M87*, no centro de uma galáxia a 53,4 milhões de anos-luz daqui, foi inclusive fotografado. Já buracos de minhoca são uma suposição meramente matemática. Ninguém sabe se é possível que eles existam.

    Continua após a publicidade
    Publicidade