Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Zuckerberg e Stephen Hawking vão mandar milhares de robôs para Alpha Centauri

Laser vai impulsionar sondas até o sistema a quase 200 milhões de km/h

Por Ana Carolina Leonardi
Atualizado em 31 out 2016, 19h01 - Publicado em 13 abr 2016, 14h45

O novo projeto do fundador do Facebook não tem nada a ver com a internet. Mark Zuckerberg quer mandar robôs para a primeira missão interestelar já realizada.

O físico e cosmólogo Stephen Hawking também faz parte da diretoria do projeto, que é chefiado por Yuri Milner, bilionário russo fundador da DST Global, empresa de investimentos que ajudou a financiar alguns dos maiores sucessos da internet, como o Airbnb, o Spotify, o Twitter e o próprio Facebook. Antes de ser um dos empresários mais conhecidos da Rússia, porém, Milner se formou em Física – e talvez isso tenha inspirado sua nova empreitada.

O projeto recebeu o nome de Breakthrough: Starshot e quer mandar sondas para Alpha Centauri, o sistema estelar mais próximo da Terra – e quer fazer isso de um jeito nunca visto antes.

Alpha Centauri fica a 4,3 anos luz daqui. Atualmente, uma sonda como a Voyager, que atravessa o sistema solar, viaja a 1,4 milhões de quilômetros por hora, o que já é muita coisa. Mas para chegar em Alpha Centauri, levaria pelo menos 70 mil anos. Não rola.

É por isso que o trio quer mudar o jeito como as viagens no espaço são feitas até agora. Ao invés de investir em uma sonda superelaborada, eles querem enviar milhares de robôs minúsculos e relativamente baratos para o espaço. Com isso, eles querem garantir que pelo menos um deles chegue lá.

Continua após a publicidade

A ideia é que essas minisondas sejam lançadas ao espaço num foguete e depois aceleradas por um laser emitido aqui da Terra. A Nasa estuda, desde o fim do ano passado, usar lasers de alta potência para aumentar a velocidade das espaçonaves e diminuir o tempo de viagem. O percurso até Marte, por exemplo, que hoje leva seis meses, poderia ser feito em 30 minutos.

Para conseguir levar as sondas até Alpha Centauri, o Starshot precisa construir um laser de pelo menos 100GW. Para chegar a essa potência, seria preciso arranjar lasers ao longo de um quilômetro e meio. Eles teriam que disparar exatamente ao mesmo tempo, convergindo em um único raio que seria mirado em cada uma dos robôs.

LEIA: ETs: Não estamos sozinhos

Cada sonda vai ser equipada com um microcomputador, uma câmera e uma bateria radioativa. O peso total de cada uma não deve passar de 1 grama – para ter uma ideia, é mais ou menos quanto pesa um iPhone se você tirar o display e toda a estrutura externa. Além disso, os cientistas precisam encontrar um material que não absorva a energia do laser (ou então o robô seria destruído em segundos). Se tudo isso der certo, com a leveza da sonda e a potência do laser, os robôs devem chegar a 20% da velocidade da luz, a quase 200 milhões de quilômetros por hora.

Continua após a publicidade

Mesmo assim, ainda vai demorar para chegar. Em primeiro lugar, os diretores acham que vão levar 20 anos para poder fazer o primeiro lançamento. Depois disso, uma vez que os robôs já estejam em órbita, o laser precisa dar a propulsão para cada um deles (e ainda não existe tecnologia para mirar com precisão a uma distância tão grande). Cada sonda ainda viajaria por mais 20 anos até chegar a Alpha Centauri. Os dados, fotos e vídeos mandados de lá também só devem chegar aqui depois de quatro anos.

Daqui a 44 anos, é possível que nem mesmo os criadores do projeto estejam aqui para vê-lo ficar pronto. Mas o trio confia no potencial do projeto. “Acredito que o que faz os humanos únicos é a vontade de transcender nossos limites”, falou Stephen Hawking. No momento, Zuckerberg, Hawking e Milner buscam experts que possam colaborar com os desafios da construção do laser e empresas que queiram financiar o Starshot, que já tem um custo estimado de 10 bilhões de dólares.

LEIA TAMBÉM:
– Em 10 anos você pode morar na Lua. E não será por causa da especulação imobiliária
– Novo satélite russo pode brilhar mais do que a Lua
– Universo pode desaparecer antes do previsto, diz estudo

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.