Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

É verdade que mel não vence?

Ele de fato é uma substância péssima para a proliferação de bactérias e fungos. Mas não significa que saia sempre ileso.

Por Oráculo
Atualizado em 7 fev 2019, 12h15 - Publicado em 23 jul 2014, 18h17

Acredite: o mel vence sim, geralmente em dois anos, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O longo prazo de validade está associado ao fato de que o alimento é um ambiente impróprio para a sobrevivência da maioria dos micro-organismos. O mel tem cerca de 80% de açúcar e 17 a 22% de umidade, características que inibem a proliferação dos micróbios que causam sua deterioração, explica Bruno Souza, pesquisador do Núcleo de Pesquisas com Abelhas da Embrapa Meio-Norte.

Além disso, o mel é um meio ácido, com pH de aproximadamente 3,91 (para comparar: o suco de laranja tem pH 3,5). “Como se não fosse suficiente, contém peróxido de hidrogênio, conhecido popularmente como água oxigenada, capaz de proteger o produto contra a decomposição bacteriana”, acrescenta Fábia Pereira, também pesquisadora do Núcleo da Embrapa Meio-Norte.

Mas, ainda assim, o mel pode estragar. Se ele não for colhido e processado da maneira correta ou se o produtor não tiver cuidados com a higiene, ele pode fermentar, formando álcool ou vinagre. “Isso pode facilmente ser percebido pelo consumidor pelo cheiro alcoólico, sabor ácido ou mesmo pela quantidade de espuma presente no mel”, explica Fábia. O processo de envelhecimento pode ser acelerado se o alimento estiver exposto à umidade, à luz e ao calor. “Todos esses fatores são prejudiciais e ajudam no envelhecimento do mel, fazendo com que ele fermente (no caso da umidade) ou perca a validade mais rápido (no caso de luz e calor)”, detalha.

Continua após a publicidade

Além disso, como se trata de um alimento, sua composição se altera com o tempo. Existem alguns componentes presentes no mel que aumentam com o tempo de armazenamento, enquanto outros diminuem, explica a pesquisadora. Um dos compostos que aumentam é o HMF (hidroximetilfurural), considerado uma substância cancerígena.

Pergunta de Pedro Henrique Salini Buttelli, Bento Gonçalves, RS.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.