Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Qual era o prédio mais alto que existia antes da invenção do elevador?

Não era bem um prédio: era uma igreja.

Por Bruno Vaiano Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 9 fev 2024, 12h41 - Publicado em 26 dez 2023, 14h00

Em 1852, ano em que Elisha Graves Otis inventou o elevador, a construção habitável mais alta do mundo não era um prédio: era a torre de 142 m da Catedral de Nossa Sra. de Estrasburgo, na França, que deteve o título até 1874 – quando foi ultrapassada por outra catedral, a Igreja de São Nicolau, em Hamburgo, com 147 m. No século 19 as igrejas ainda eram, via de regra, os prédios mais imponentes das cidades ocidentais. 

O primeiro prédio com elevador, terminado em 1857, tinha apenas 24 m de altura: era o edifício E. V. Haughwout, com cinco andares, localizado em Nova York. Considera-se que o primeiro arranha-céu foi a sede da empresa de máquinas de costura Singer, também em Nova York, com 205 m de altura e 41 andares (mas esse título muda conforme a definição de arranha-céu que se adota). 

Por 3,8 mil anos, até 1311, a estrutura mais alta do mundo foi a Pirâmide de Gizé, com 137 m. Mas ela não conta como prédio porque não foi construída com o intuito de abrigar gente. Não gente viva, pelo menos: elas são túmulos gigantescos. A Torre Eiffel, os obeliscos e outros monumentos que já detiveram o título de construção mais alta do mundo também não entram no ranking por não contarem como prédios.

Pergunta de @thggomes, via Instagram.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.