Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Quando as Três Marias vão virar Duas Marias?

Veja quem será a primeira estrela a se despedir das irmãs.

Por Maria Clara Rossini
Atualizado em 23 jan 2023, 10h02 - Publicado em 19 jan 2023, 12h29

Em menos de 1 milhão de anos, provavelmente. Antes de entrar em detalhes, vamos dar nome aos bois: “Três Marias” é o termo popular usado para se referir ao Cinturão de Órion. Olhando para o Leste, a estrela mais próxima ao horizonte ali é chamada Alnitak. A do meio é Alnilam e a mais distante, Mintaka.

Todas são estrelas supergigantes. Isso significa que esses pontos luminosos são bastante massivos (têm entre 8 e 70 vezes a massa do Sol) – e quanto mais massiva é uma estrela, mais rápido ela evolui até sua morte. Ou seja, as supergigantes têm um ciclo de vida curto em relação a outros tipos de estrelas.

Para efeito de comparação: o Sol (uma estrela anã amarela) já tem 4,6 bilhões de anos – e só passará para sua próxima fase (gigante vermelha) daqui 5 bilhões. Uma vida relativamente longa para a realidade estelar.

Continua após a publicidade

Dentre as Três Marias, a primeira a dizer adeus será a irmã do meio, Alnilam, mesmo sendo a mais jovem delas: tem 5,5 milhões de anos. A expectativa de vida menor, então, está relacionada ao fato de ela ser a mais massiva das três, com 40 vezes a massa do Sol. A estimativa é de que vá virar uma supernova (fase pré-morte, em que passa por uma grande explosão luminosa) em menos de um milhão de anos.

Logo depois será a vez de Alnitak, que também deve explodir em menos de um milhão de anos – não dá para cravar com mais exatidão do que isso. Na verdade, Alnitak é um sistema triplo de estrelas muito próximas, tanto que as percebemos como um único ponto no céu. A mais brilhante delas é uma supergigante de 6,4 milhões de anos. Apesar de ser mais velha que Alnilam, vai morrer mais tarde, pois tem “só” 33 vezes a massa do Sol.

Chegará a hora em que Mintaka será a estrela solitária. Ou quase isso. Assim como Alnitak, ela é um sistema estelar múltiplo composto por seis estrelas (que daqui também enxergamos como um ponto só). A mais brilhante delas tem 24 vezes a massa do Sol. Aí você já sabe: por ser menos massiva, evolui mais lentamente e será a última Maria a apagar no nosso céu. 

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:

Fonte: Roberto D. Dias da Costa, professor do Departamento de Astronomia da USP

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.