GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Por que os médicos usam jaleco branco?

Fashionistas que olharem para calçadas, lojas e até para as lanchonetes mais sujas perto de hospitais constatarão: jaleco é tendência. A vestimenta que deveria servir de proteção para médicos e pacientes virou sinal de identificação e de status.

O jaleco surgiu no final da Idade Média para proteger os médicos europeus da peste bubônica, e era acompanhado de luvas, chapéu, máscara e até um bico que protegia o nariz. Detalhe: era feito de tecidos escuros e, quanto mais manchado fosse, mais moral dava ao médico, pois indicava que ele havia tratado muitos pacientes. Foi só no século 19, quando provou-se que muitas doenças vinham da falta de assepsia nos hospitais, que o jaleco branco e limpo virou norma.

Mas, fora do hospital, ele perde a função. “É um uso promíscuo de um instrumento que deveria proteger o profissional e o doente,” afirma Jorge Timenetsky, do Departamento de Microbiologia da USP. O jaleco pode trazer da rua bactérias perigosas para pacientes mais frágeis, como crianças, idosos e recém-operados. “Agora, transmitir é uma coisa; desenvolver a doença é outra”, diz Timenetsky.