Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Além do Setembro Amarelo, que outros meses têm “cor”?

Associar cores a meses tem sido uma importante ferramenta para conscientizar a população sobre temas como câncer, transtornos mentais e doação de órgãos.

Por Fernando Barros e Luiza Monteiro Atualizado em 3 set 2021, 15h08 - Publicado em 20 dez 2017, 14h45

Associar uma “cor” a um mês mostrou-se uma boa ferramenta de marketing para disseminar informações sobre importantes questões de saúde. As campanhas do Outubro Rosa (contra o câncer de mama) e do Novembro Azul (contra o câncer de próstata) estão entre as mais bem-sucedidas, e inspiraram muitas outras.

Há meses com até quatro cores diferentes, de acordo com sua temática. Estes são os mais conhecidos no Brasil:

Ingográfico ilustrado com um corpo humano. Em cada parte, há um número que corresponde às legendas dos meses de conscientização. Cada um deles tem uma cor diferente referente ao mês.

1. Janeiro branco

Tema: Saúde mental

A depressão afeta 322 milhões de pessoas no mundo e 11,5 milhões de brasileiros, segundo a OMS. Já os transtornos de ansiedade acometem 264 milhões (18,6 milhões no Brasil).

2. Fevereiro roxo

Tema: Alzheimer

Afeta memória e linguagem. Estima-se que, no mundo, 35,6 milhões de pessoas têm a doença e, no Brasil, 1,2 milhão.

Fevereiro laranja

Alerta para casos de leucemia, em que ocorre um acúmulo de células malignas na medula óssea – órgão responsável por produzir células sanguíneas. Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), a estimativa de novos casos para 2018 é de 10.800.

3. Março lilás

Tema: Câncer do colo do útero

É a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Para este ano, foram estimados cerca de 16 mil casos.

Março azul-marinho

Lembra o câncer colorretal, que acomete o intestino grosso e o reto.

  • 4. Abril azul

    Tema: Autismo

    O transtorno afeta cerca de 1% da população mundial. É até quatro vezes mais frequente no sexo masculino.

    Abril verde

    Dedica-se a conscientizar sobre a prevenção de acidentes em ambientes de trabalho. Somos o quarto país na lista das nações com maiores índices de acidentes laborais – de 2012 para cá, foram registrados 4,4 milhões de casos.

    5. Maio roxo

    Tema: Doenças inflamatórias intestinais

    Atingem cerca de 5 milhões de pessoas no mundo e podem provocar câncer colorretal.

    Maio amarelo

    Estimula o debate sobre acidentes de trânsito, que mataram, só nos primeiros seis meses de 2018, mais de 19 mil mortes e 20 mil casos de invalidez permanente no país, segundo o Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), órgão da Escola Nacional de Seguros.

    Continua após a publicidade

    6. Junho vermelho

    Tema: Incentivo à doação de sangue

    Segundo análises, no inverno, os bancos de sangue sofrem redução de 30% nos estoques.

    7. Julho amarelo

    Tema: Hepatites virais

    Os dois tipos mais graves, B e C, acometem 1,7 milhão e 756 mil brasileiros, respectivamente.

    8. Agosto laranja

    Tema: Esclerose múltipla

    Estima-se que 35 mil brasileiros sofram com essa doença, em que as células de defesa do organismo atacam o sistema nervoso, causando fadiga, visão embaçada, perda de equilíbrio e outros problemas.

    Agosto dourado

    Os primeiros sete dias do mês são marcados pela Semana Mundial de Aleitamento Materno, que busca conscientizar sobre a importância da amamentação. Os momentos em que a mãe dá de mamar ao bebê são considerados “horas de ouro” – daí o nome.

    9. Setembro amarelo

    Tema: Combate ao suicídio

    Considerado pela OMS um grave problema de saúde pública. No mundo, há mais de 800 mil suicídios todos os anos.

    10. Setembro verde

    Incentiva a doação de órgãos. Em 2016, foram registrados 2.983 doadores no país, um aumento de 5% em relação a 2015.

    Setembro Vermelho

    No dia 29 é celebrado o Dia Mundial do Coração. Por isso, o mês também chama atenção para as doenças cardiovasculares, que são a principal causa de morte no mundo todo.

    11. Outubro rosa

    Tema: Câncer de mama

    O segundo tipo mais frequente entre mulheres em todo o Brasil (exceto na região Norte). Só em 2018, foram estimados cerca de 59 mil novos casos.

    12. Novembro azul

    Tema: Câncer de próstata

    É o segundo tipo de câncer mais frequente entre os homens no Brasil. Até o fim deste ano, espera-se detectar mais de 68 mil episódios.

    13. Dezembro vermelho

    Tema: HIV

    Dados de 2017 indicam que 882.810 brasileiros vivem com o vírus da aids e cerca de 40 mil novos casos são registrados por ano. Esses índices estão subindo.

    Dezembro laranja

    Criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, essa campanha joga luz sobre a prevenção do câncer de pele, o mais comum no país.

    Fontes: OMS, ONU, Unaids, Inca, Instituto Lado a Lado pela Vida, Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, HIV/Aids e Hepatites Virais, Associação Brasileira de Psiquiatria, Associação Brasileira de Alzheimer, Associação Brasileira de Esclerose Múltipla, DSM-V, Portal Brasil, Portal da Coloproctologia, G1, Correio Braziliense, EBC e CLAUDIA.

    Continua após a publicidade
    Publicidade